Minissérie de Miguel Falabella, “O Sexo e as Nêga”, é alvo de denúncias por racismo e sexismo

O programa, da Rede Globo, já foi alvo de três denúncias de racismo à ouvidoria da Secretaria Especial da Promoção da Igualdade Racial

 A minissérie já foi alvo de três denúncias de racismo antes da estréia Foto: Divulgação

A minissérie já foi alvo de três denúncias de racismo antes da estréia|Foto: Divulgação

A minissérie “O Sexo e as Nêga” nem entrou no ar e já está envolta em polêmicas. O programa, da Rede Globo, já foi alvo de três denúncias de racismo à ouvidoria da Secretaria Especial da Promoção da Igualdade Racial.

Organizações de combate ao racismo e ao sexismo, inclusive, iniciaram uma campanha de boicote à produção. Até o momento, mais de 20 mil pessoas estão apoiando o movimento. Segundo os críticos, o programa, a começar pelo seu título, promove a depreciação da mulher negra na televisão.

As queixas estão sendo avaliadas pelos órgãos competentes, que podem pedir providências à Rede Globo. O autor, Miguel Falabella, argumenta que a minissérie não pode ser criticada antes de estrear e que o título é apenas uma brincadeira com o jeito de falar do carioca.

“As pessoas precisam encarar com humor”, disse. O programa está previsto para estrear em 16 de setembro.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.