Leilão de carros de luxo não sensibiliza empresários e valor arrecadado é próximo de lances mínimos

Titular da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Serviços, Wilder Morais participa do evento, dá lance, mas não arremata veículo

Foto: Lívia Barbosa | Jornal Opção

O leilão de dois carros de luxo realizado pelo governador Ronaldo Caiado (DEM) na manhã desta quinta-feira, 14, para ajudar o Hospital Materno Infantil durou pouco mais de 10 minutos. O evento foi marcado por poucos lances, um deles dado pelo secretário Wilder Morais, titular da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Serviços (SIC). A venda arrecadou R$ 335 mil reais que serão destinados para as áreas mais emergenciais da unidade.

Um dos carros, avaliado em R$207.166 mil, acabou arrematado pelo lance mínimo, apesar da súplica do governador em contar com o sentimento de solidariedade dos empresários. O outro, avaliado em R$120 mil, foi arrematado por R$ 128 mil.

Poucos empresários compareceram ao evento, amplamente divulgado pela imprensa e redes sociais do governo, e realizaram lances. No entanto, representantes do Materno Infantil, o governador e até o secretário de Saúde, Isamel Alexandrino, que vestia uma camiseta com os dizeres ‘Posso Ajudar?’, fizeram questão de frisar que o leilão tinha um significado simbólico: um sentimento de união e solidariedade do povo goiano.  

Sobre o impacto real dos leilões para “salvar” o Materno Infantil, Caiado foi realista e afirmou que não resolve. Para ele, o evento marca o inicio da mudança, de um novo momento para o hospital e para a Saúde, que receberão outros investimentos e recursos. “Em pouco tempo o Materno e a Saúde em Goiás sofrerão uma transformação”, defendeu o governador em tom otimista.

A dívida total do Hospital Materno Infantil é de quase R$ 38 milhões.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Laura Abrantes

Para arrecadar dinheiro, tem q exonerar tds os comissionados do Tce senhor governador, São apadrinhados, salários muito altos, inúteis, ociosos e foi promessa de campanha isso acontecer. Nos concursados além de ganhar menos ficamos sobre as ordens deles porque os padrinhos q os bancam assegura isso. Pedimos o senhor ver essa situação q incomoda e onera a folha do Estado. Somos tds Goias!

Antonieta Leal

É preciso ouvir a voz do povo e AGIR. Comissionados do Tce têm q ser exonerados: não justifica aquele amontoado de gente sem fazer nada e com o salario altissimo. Essa providencia o senhor governador tem q por a mão na consciência e resolver, pelo menos isso, é o mínimo. Tds são ousados em dizer q São colocados por Marconi e quem se ousa a mexer? Zombaria sem escrúpulo. Feio d ++++ pro nosso estado.

Antonieta Leal

Sugestão: Se extinguir cargos dos comissionados no Tce, haverá melhorias no órgão e no Estado. Age Caiado

Antonieta Leal

Nada + injusto do q manter os comissionados do Tce.

Kátia Salles

Sr governador: Td q li aqui a respeito dos comissionados do Tce, eu tbm APROVO a exoneração de tds. Afinal esse salario deles é insustentável ainda + para um Estado em dificuldades como está o nosso.

Kátia Salles

Demissão dos apadrinhados do Tce: êba, eu creio.