Investigação considera que Afipe pode ter movimentado mais de R$ 2 bi nos últimos dez anos

Operação Vendilhões, que apura irregularidades relacionadas a Associação Filhos do Pai Eterno, investiga possíveis irregularidades na compra de imoveis, gados e até em financiamento de campanha política

Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) deflagrou na manhã desta sexta-feira, 21, a Operação Vendilhões, que apura irregularidades relacionadas à Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe). A Operação foi realizada após as investigações apontarem para gastos injustificados por parte da associação.

O Ministério Público concederá uma entrevista coletiva na tarde de hoje para revelar os detalhes da apuração. No entanto, o que tem sido ventilado preliminarmente é de que a Afipe está envolvida na compra de imóveis, gados e até em financiamento de campanha política.

Outro detalhe que tem sido comentado diz respeito ao montante movimentado indevidamente. O número chama atenção ao superar a casa dos R$ 2 bilhões ao longo dos dez últimos anos.

Tratando-se especificamente das operações realizadas no âmbito eleitoral, o nome dos empresários e políticos envolvidos ainda não foram revelados.

Os crimes apurados, até o momento, são os de organização criminosa, apropriação indébita, lavagem de dinheiro, falsificação de documentos e sonegação fiscal.

Para apurar os indícios de irregularidade, foram cumpridos 16 mandados de busca e apreensão na sede das Associações, empresas e residências em Goiânia e Trindade.

A Associação Filhos do Pai Eterno foi procurada pela reportagem para comentar o assunto, mas até o momento ainda não se pronunciou. O espaço continua aberto.

A Afipe, criada em 2004, é uma associação sem fins lucrativos que levanta recursos para projetos pastorais do Santuário do Divino Pai Eterno. As doações recebidas são voltadas para a evangelização por meio da TV e para obras sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.