Insatisfeitos com Caiado, deputados da base aliada se unem em ‘bloco independente’

Movimento conta com nomes de Henrique Arantes (PTB), Virmondes Cruvinel (Cidadania) e Humberto Aidar (MDB) que eram tidos como apoiadores do governo

Virmondes Cruvinel e Henrique Arantes

“O Caiado precisa rever seus articuladores”. A observação é de um deputado disposto a compor a base aliada do governo mas que não tem recebido atenção do governador.

Nos bastidores o que se ouve é a insatisfação dos apoiadores do governador que reclamam não serem ouvidos pela gestão e do não cumprimento dos acordos firmados com a base.

Esse cenário propiciou o fortalecimento do chamado “bloco independente”. Um grupo de deputados tem se unido e buscado apoio entre os colegas para formar o “centrão” na Assembleia Legislativa.

O grupo estaria sendo liderado pelo deputado Henrique Arantes (PTB) e já teria apoio de nomes até então considerados da base, que inclusive já foram contemplados com cargos no governo. Entre eles, Virmondes Cruvinel (Cidadania), Iso Moreira (DEM) e Humberto Aidar (MDB).

Virmondes disse à reportagem que foi procurado por Arantes e Aidar para compor o grupo. “A ideia, pelo que eles me disseram, é formar um grupo de centro, mais moderado. Tenho um grande respeito pelo deputado Henrique Arantes e pelo deputado Humberto Aidar, que me procuraram, por isso estou pensando na ideia e pretendo continuar dialogando. Creio que esse grupo deve terminar composto por uns 10 ou 12 parlamentares. Na semana que vem a articulação deve avançar, principalmente pela discussão acerca do Orçamento Impositivo que entre os deputados”.

Procurado pelo Jornal Opção, Henrique negou estar encabeçando o movimento. “Não fui procurado por ninguém, sequer sei alguma coisa sobre esse assunto. Então eu não quero falar sobre isso”, afirmou.

Uma resposta para “Insatisfeitos com Caiado, deputados da base aliada se unem em ‘bloco independente’”

  1. vilson disse:

    Estou com o Governador, é assim que deve ser, deputado foi eleito para legislar, essa malandragem tem que acabar, muitos deles tanto estadual e federal teriam que perder mandato e estar na cadeia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.