Exclusivo: Mãe da adolescente que denunciou pastor por importunação sexual relata estar vivendo ‘um pesadelo’

“Minha vida virou de cabeça para baixo. Eu cuido das minhas filhas sozinha. Sou a mãe e o pai delas. Tudo que eu quero é que essa situação acabe e que as coisas se resolvam”, disse ao Jornal Opção  

Print do vídeo que circulou pelas redes sociais

Em entrevista exclusiva ao Jornal Opção, a mãe de adolescente de 14 anos que denunciou um pastor por importunação sexual relata ter tido que tomar medidas extremas para remediar o linchamento recebido após o caso se tornar público. No início desta semana, a Guarda Civil Metropolitana de Goiânia (GCM) recebeu a denúncia de que um vídeo mostrava um homem, que foi identificado como Pastor Otacílio Manuel, assediando uma jovem estaria circulando na internet. 

Segundo a mãe da vítima, além de interromperem contato com os conhecidos e pararem de frequentar a igreja que o Pastor Otacílio Manuel congregava, elas se viram obrigadas a mudarem da residência onde moravam. “Depois que o vídeo foi divulgado e a mídia começou a falar que eu estava escondendo o caso, vieram no meu portão e tentaram arrombar ele. Estão querendo fazer mal a mim e às minhas filhas”, desabafou.  

Ao ser questionada pela demora em levar o caso a público, a mãe da jovem explica que seu medo era e ainda é enorme. “Meu temor era exatamente isso que está acontecendo: as pessoas condenarem minha filha como se ela estivesse gostando do que estava acontecendo, como se eu estivesse querendo vender minha filha para ele”, explica. A mãe da menina ainda conta que está na luta para que o vídeo pare de circular pela internet, com objetivo de reduzir a exposição da imagem da filha.

Histórico do caso

Segundo ela, ao contrário do que foi divulgado, desde o primeiro relato de sua filha, ela confrontou o líder espiritual e tentou afastar a filha dele. Ela narra que tudo começou há quatro meses, quando a jovem estava na casa de uma amiga, em Inhumas, e ‘estava dando trabalho’. Ao recorrer ao pastor de sua igreja, a quem tinha plena confiança, o homem pediu para ver e conversar com a menina, sob a justificativa de que, se a mulher não autorizasse, “ia acabar perdendo a filha para o mundo”.

A menina mostrou resistência em conversar com o líder, mas a mãe a convenceu. A mulher, que não quis se identificar publicamente, conta que ao chegar em casa, a filha relatou o que o homem havia dito. “Ela chegou e disse: mãe, tenho que te contar algo que nem eu estou acreditando. O pastor disse que se você não estivesse na igreja hoje, ele teria me beijado”, contou.

Na mesma hora, a mulher disse ter mandado uma mensagem de texto ao homem, com a intenção de tirar satisfação pelo ocorrido. A mãe conta que, além de negar toda a história, ele alegou que sua filha provavelmente entendeu errado o que o líder disse a ela. Com isso, ela conta que não confiava mais nele e que orientou a filha a não mais conversar com o pastor.

Semanas depois, em uma terça-feira em que a mãe, que é doméstica, havia saído para trabalhar, a filha contou que o homem apareceu em sua casa e a abraçou. “Ele mandou uma mensagem para ela e perguntou se poderia ir lá em casa conversar com ela. Ela acreditou que ele realmente queria conversar e disse que poderia. Na ocasião, além de abraçá-la, ela relatou que ele passou a mão na bunda dela”, disse.

No dia seguinte, com a intenção de obter uma prova material do que estava ocorrendo, a jovem de 14 anos e sua amiga tiveram a ideia de gravar as ações do homem em relação a menina. De acordo com a mãe, a amiga da filha a induziu e a convenceu a chamar o líder espiritual em sua casa para realizar a gravação do vídeo.

“Elas mandaram mensagem a ele dizendo ‘você pode vir aqui, eu estou só’. Minha filha ficou esperando e a amiga dela ficou escondida no meu quarto, embaixo da minha cama, e elas filmaram tudo. Tudo que minha filha disse, a amiga dela quem ajudou ela a falar para ‘pegar ele no pulo’. Quando cheguei em casa, ela me disse que tinha algo muito sério para me mostrar, e me mandou o vídeo. Nem passava pela minha cabeça que o que ela queria que eu visse era isso. Naquela hora, meu mundo caiu”, relatou.

A mãe conta que, no vídeo, o homem aparecia beijando e acariciando sua filha. “Eu não consegui ver tudo, não tive coragem. A mãe dessa amiga da minha filha ficou em cima de mim para ir à delegacia, e eu disse que iria, mas que precisava de um tempo para processar tudo que estava acontecendo, mas ela pegou minha menina e foi na delegacia com ela sem eu saber, durante uma madrugada, por volta de umas três e meia da manhã. Por isso estão falando que eu sabia do que estava acontecendo e estava acobertando, mas eu jamais ia aceitar uma situação dessa com a minha filha. Minha vontade é que a justiça seja feita, ainda estou sem chão”, expõe.

Repercussão do vídeo

Após a divulgação em massa do vídeo gravado, apesar da dita boa intenção da amiga de sua filha, a mãe da jovem assediada não acredita que ambas queriam apenas ajudá-las. “Se a intenção fosse boa, elas teriam apenas denunciado, não teriam mandado o vídeo para todos os contatos delas. Agora o rosto da minha filha está exposto e as pessoas querem fazer mal a ela; a nós”, declara.

A mãe ainda relatou que teve total apoio de sua família, que também frequentava a igreja liderada pelo Pastor Otacílio Manuel, e que em breve sua filha provavelmente começará a realizar tratamento psicológico. “Minha vida virou de cabeça para baixo. Eu cuido das minhas filhas sozinha. Sou a mãe e o pai delas. Tudo que eu quero é que essa situação acabe e que as coisas se resolvam”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.