“CPI em ano de eleição é meramente política”, diz Bruno Peixoto sobre comissão que quer investigar Complexo Regulador Estadual

Base do governo na Alego, Bruno Peixoto (UB) afirmou que CPI deverá contar com três deputados da base e dois da oposição

Na semana passada, os deputados estaduais instauraram uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego). Com intuito de investigar possíveis irregularidades no Complexo Regulador Estadual (CRE), a instauração obteve 14 assinaturas favoráveis. No entanto, na quinta-feira (9), o presidente da Alego, Lissauer Vieira (PSD), revogou o ato que definiu a comissão, sob justificativa de que a formação da CPI não cumpriu o regimento da Casa.

Agora, os deputados estaduais devem se organizar para viabilizar a instauração da comissão. Base do governo na Alego, Bruno Peixoto (UB) afirmou que a CPI deverá contar com três deputados da base e dois da oposição. “Respeitando a proporcionalidade conforme o regimento, será feita nova composição [da CPI]. A base do governo terá a presidência e a relatoria”, afirmou.

Segundo o parlamentar, ainda não houve a indicação dos membros e não há previsão para que os líderes partidários façam a nomeação. “A CPI é política e vamos agir politicamente, mostrando os pontos positivos do governo. CPI em ano de eleição é meramente política”, criticou Peixoto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.