Célio Silveira entra na disputa pela presidência do PSDB

Único deputado federal do partido, parlamentar considera sua candidatura como a mais legítima. “Se o PSDB hoje tem fundo eleitoral é por causa da minha presença em Brasília”

A disputa pela presidência do PSDB em Goiás está aquecida e acaba de ganhar mais um capítulo: o deputado federal Célio Silveira entrou no pleito para comandar a sigla no Estado.

Único representante tucano na Câmara Federal, Célio considera sua candidatura como “a mais legítima”. ” Eu sou o que tem mais condições de conduzir o partido hoje, sem querer desmerecer ninguém. Mas, se o PSDB hoje tem fundo eleitoral é devido a minha presença em Brasília”, analisa.

O deputado federal diz que tem articulado em busca de apoios e acredita que o consenso pode acontecer até “30 segundos antes da eleição”. “Essa disputa mostra que o partido está vivo, que grandes lideranças querem fazer parte desse processo. Mas, ela tem que acontecer para o crescimento e não para causar brigas. Não é momento de impor coisas de um mesmo grupo de sempre”.

Para o deputado, se o partido não estiver unido e focado em eleger muitos prefeitos e vereadores em 2020, corre o risco de ser dizimado.

Apoio

Assim que soube da pretensão de Célio em disputar o comando do partido, o deputado estadual Diego Sorgatto declarou apoio ao colega. “Somos da mesma cidade e região. Muito se fala em valorizar a região do entorno do DF, e nada melhor do que o PSDB acatar o nome do deputado Célio para presidente. Além do mais, ele é um político com capacidade de se reciclar, o que o partido precisa no momento, e também o único deputado federal da sigla. Tem o meu apoio”.

Para Sorgatto, ter chapa única seria uma boa opção, mas a disputa fortalece o partido. “Chapa de consenso sempre é bom, mas [a disputa] de fato serve pra mostrar que o PSDB não morreu como alguns dizem por aí. Ninguém briga por algo que não tem valor”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.