Augusto Diniz
Augusto Diniz

Banda Kid Abelha anuncia seu fim. Relembre os grandes sucessos

Grupo carioca que começou a carreira em 1981 como Kid Abelha e os Abóboras Selvagens já não fazia shows desde 2013, quando encerrou a última turnê e fez uma pausa

A banda Kid Abelha decidiu dar um fim à sua história depois de 31 anos de carreira e um hiato de três anos | Foto: Divulgação

A banda Kid Abelha decidiu dar um fim à sua história depois de 31 anos de carreira e um hiato de três anos | Foto: Divulgação

A banda carioca Kid Abelha estava parada desde 2013. E ontem aconteceu o que parecia o inevitável: o grupo anunciou na noite de sexta-feira (22/4) o fim de sua carreira. Mas não fique triste, porque Paula Toller, George Israel e Bruno Fortunato deixaram para os fãs um histórico que inclui, em 35 anos de música, 13 álbuns, 12 deles de estúdio e um de remixes, e outros cinco gravados ao vivo. Eles se despediram do público com uma nota de agradecimento ao público:

Nota de Agradecimento

Querido fã:

Temos sido chamados para entrevistas sobre nossos projetos atuais, e claro, sempre há alguma pergunta sobre o Kid Abelha, nossa banda durante mais de 30 anos e que nos trouxe grandes alegrias na vida. Com gentileza, procuramos sempre contar a verdade, mas, surpreendidos por algumas publicações equivocadas, estamos fazendo este esclarecimento.

A vontade de experimentar outras formas de criar e o desgaste natural de tanto tempo juntos nos levaram a essa decisão. Optamos por um soft-ending, um final suave, evitando o sensacionalismo, com a convicção de que nossa trajetória vitoriosa sempre se deveu ao entusiasmo e dedicação sempre renovados a cada disco, cada turnê.

Foram três décadas de sucesso, aventuras, amizade, e também de momentos difíceis, altos e baixos dessa carreira desafiadora que escolhemos. Pela nossa filosofia e pelo amor à música, nunca tivemos o dinheiro como norte, e sim como conseqüência (ou não) de um trabalho original e bem realizado, que se tornou paradigma de pop-rock brasileiro.

Mas faltou o mais importante: Agradecer em negrito, com letras garrafais, a você!

Ao fã que nos acompanha há tanto tempo, viajando para nos assistir ao vivo, escrevendo cartas, mandando mensagens e comentando nas redes sociais, elogiando, criticando, se preocupando…a esse amigo, que convida seus amigos a nos ouvir, e cuja vida está marcada através das canções que nós fizemos, e cujo carinho e atenção também marcaram nossas vidas, MUITO OBRIGADO!

Saiba que, do fundo do coração, não nos esqueceremos nem dos aplausos, dos gritos e da voz em coro nos grandes eventos, nem de cada voz isolada num quarto, entoando uma melodia também criada num quarto, na solidão, na vontade de vencer o tédio e a tristeza através de uma canção bonita.

Com amor;
Paula, George e Bruno.

Passaram pelo Kid Abelha os músicos Leoni, que compôs várias músicas com Paula Toller, Beni Borja, Cláudio Infante, Kadu Menezes e Pedro Farah, além do trio que sempre liderou a banda.

Se você tem mais de 20 anos provavelmente já cantou “em cima da cama embaixo da escada” depois do verso “fazer amor de madrugada“, na canção Pintura Íntima. Para te ajudar a lembrar a carreira do Kid Abelha, o Jornal Opção selecionou os grandes sucessos dos discos da banda. Aproveite!

Em 1984, como Kid Abelha e os Abóboras Selvagens, a banda lançou o LP (vinil) Seu Espião. Dele vieram os sucessos Fixação, Como Eu Quero, Por Que Não Eu?Alice (Não Me Escreva Aquela Carta de Amor), Nada Tanto Assim e Pintura Íntima (sim, aquela da piadinha na pista de dança).

Em maio de 1985, o grupo lançou Educação Sentimental. Do segundo disco vieram Lágrimas e Chuva, Os OutrosA Fórmula do Amor e Educação Sentimental II.

No disco Kid Abelha Ao Vivo, de 1986, ganhou espaço nas rádios a canção Nada Por Mim.

Tomate foi lançado em 1987, com os sucessos Amanhã É 23 e No Meio da Rua. Coincidência boba, mas a letra de Amanhã É 23 diz “amanhã é 23/são oito dias para o fim do mês“. O mês da música é agosto, mas o anúncio do fim da banda veio no dia 22, oito dias antes do final do mês de abril.

Dizer Não É Dizer Sim e Todo Meu Ouro vieram do disco Kid, de 1989.

Com Tudo É Permitido, em 1991, o Kid Abelha emplacou os hits Gand’ Hotel, Não Vou Ficar No Seu Lugar.

Do disco Iê Iê Iê, de 1993, saiu Eu Tive Um Sonho.

Do disco ao vivo Meio Desligado, de 1994, veio o sucesso Solidão Que Nada.

Em 1996 o Kid Abelha lançou o álbum Meu Mundo Gira Em Torno de Você, que colocou nas rádios Te Amo Pra Sempre, Na Rua, Na Chuva, Na Fazenda, Como É Que Eu Vou Embora e botou uma música no gosto dos fãs: A Moto.

Do disco Autolove, de 1998, são mais conhecidas Eu Só Penso Em Você e Maio…

Surf, lançado em 2001, conseguiu botar nas paradas Eu Contra a Noite.

No Acústico MTV saiu a regravação de Quero Te Encontrar, em 2002.

Pega Vida, último disco de estúdio do Kid Abelha, saiu em 2005. Dele vieram Poligamia Peito Aberto.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.