Após 8 meses de investigação, polícia desarticula quadrilha que atuava com tráfico, roubos e homicídios

Operação Elo Crimina, deflagrada nesta quarta-feira, 27, cumpriu 24 mandados de prisão temporária e 32 de busca e apreensão. Investigados se dedicavam a atividades criminosas na região oeste da capital e no município de Trindade, dois ainda estão foragidos

Foto: Divulgação

A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio do Grupo de Repressão a Roubos (Garra), pertencente à Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC), deflagrou nessa quarta-feira, 26, a Operação Elo Criminal, com a finalidade de cumprir 58 mandados judiciais, sendo 26 de prisão temporária e 32 de busca e apreensão.

A investigação começou no dia 20 de dezembro de 2019, após o Garra receber informação sobre um suposto crime de roubo seguido de morte (latrocínio), praticado em desfavor da vítima Joab Pinto do Nascimento. Ele foi morto na Rua ELO 44, Setor Parque Eldorado Oeste, Goiânia.

A Polícia Civil apurou que a vítima estava saindo de sua residência, com destino ao trabalho, quando foi abordada por um indivíduo que efetuou cerca de quatro disparos de arma de fogo em sua direção. A vítima levou dois tiros e morreu no local. Logo após, o atirador roubou a motocicleta e o capacete da vítima.

A dinâmica de como se desenvolveu a execução criminosa fez surgir a linha de investigação de homicídio seguido de furto, visto que não ocorreu anúncio de assalto, foram efetuados muitos disparos e a vítima possuía antecedentes criminais pelo delito de tráfico de drogas ilícitas.

As diligências efetuadas permitiram então identificar o grupo criminoso com o qual a vítima estava envolvida, bem como obter a informação de que ela possuía uma dívida decorrente da aquisição de drogas ilícitas para revenda, o que teria motivado sua morte.

Durante oito meses de investigação, a Deic identificou vários integrantes do grupo, os quais agiam, em sua maioria, na região oeste de Goiânia e em Trindade, praticando crimes como tráfico e associação para o tráfico de drogas, roubos, posse de arma de fogo e homicídios (tentados e consumados).

Após produzidos inúmeros relatórios policiais, foi representada pela prisão temporária dos investigados, bem como pela busca e apreensão em suas respectivas residências, o que foi prontamente atendido pelo Poder Judiciário.

Dentre os presos, estão o executor da morte da vítima Joab, que confessou o crime durante interrogatório, bem como o partícipe que forneceu a arma utilizada no crime, que preferiu ficar em silêncio. A motocicleta e o capacete da vítima foram incinerados em um lixão próximo ao Parque Santa Rita, em Goiânia.

Os dois investigados acima citados estão envolvidos ainda na tentativa de homicídio contra a vítima Ailton Ribeiro de Souza, ocorrida no dia 2 de fevereiro deste ano. O inquérito policial relativo a este fato também está em curso na Deic, diante da existência de conexão probatória.

Durante a Operação Elo Criminal, a Polícia Civil conseguiu cumprir 24 mandados de prisão, dentre os 26 inicialmente expedidos, havendo dois investigados foragidos até o momento.

Todos os mandados de busca foram cumpridos, o que permitiu a apreensão de: duas armas de fogo; diversas munições de calibres variados; carregadores de pistola; várias porções de “maconha” e “cocaína”; balança de precisão; diversos aparelhos celulares; quase R$ 11 mil em espécie, provenientes do tráfico de entorpecentes. Com o cumprimento dos mandados, os procedimentos investigativos devem ser concluídos nos próximos 30 dias.

Participaram da operação 134 policiais civis. A operação foi batizada como “Elo Criminal” em virtude de ser o nome da via pública onde ocorreu a morte da vítima Joab, cujo fato ensejou a investigação que culminou na descoberta de vários delitos e da existência do elo entre os investigados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.