Alegando liberdade de imprensa, Justiça cassa liminar e Playboy de suposto affair de Neymar permanece nas bancas

A Justiça de São Paulo suspendeu a liminar que impedia a circulação de edição de junho da revista “Playboy”. A publicação tem na capa a modelo Patrícia Jordane, suposto ex-affair do jogador Neymar Júnior. O atacante ganhou, no último dia 25, uma ação que movia contra a revista masculina por uso indevido de seu nome e violação de privacidade.

Segundo entendimento do desembargador Rui Cascaldi, da 1ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, a decisão anterior foi desproporcional, pois a defesa da privacidade do jogador feria a liberdade de imprensa.

Mesmo com toda a repercussão da concessão de liminar que impedia a venda da edição, as revistas não saíram das bancas em nenhum momento. Segundo a assessoria de imprensa da “Playboy”, as vendas da publicação continuam normalmente.

Veja fotos do polêmico ensaio da “morena que encantou Neymar”:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe um comentário