Marconi defende federalização de todos os presídios do país

Governador deve se reunir com Michel Temer nesta quarta-feira para tratar sobre o tema e a criação de um Ministério da Segurança Pública

Governador confirmou pauta do encontro com presidente em entrevista | Foto: Marco Monteiro

Na próxima quarta-feira (18/1), o governador Marconi Perillo (PSDB) se encontrará com o presidente Michel Temer (PMDB) em Brasília para tratar da questão da Segurança Pública. “Vamos tratar exclusivamente da situação de Segurança Pública e de presídios. Eu defendo que todos os presídios sejam federalizados e que a gente tenha o Ministério da Segurança Pública, com parte dele voltada exclusivamente à execução penal”, afirmou o governador.

Para Marconi, o Governo Federal demorou a  priorizar a situação dos presídios no país, que, segundo ele, poderia ser resolvida com o fim do contingenciamento dos recursos do Fundo Penitenciário Nacional. “Demorou muito tempo – e não é culpa do presidente Temer – para acordar em relação à situação dos presídios. Ao longo dos últimos anos, todo o dinheiro do Fundo Penitenciário Nacional ficou contingenciado, represado para a formação de superávit primário. Isso fez com que a situação carcerária no Brasil se deteriorasse”, pontuou.

O governador defendeu, ainda, que a superlotação nos presídios é parte de uma política equivocada mantida há anos no país. Os últimos casos de violência envolvendo alguns presídios no país teriam alertado quanto à urgência do poder público em encontrar soluções para a questão.

“Hoje nós temos gente demais nos presídios, muita gente para entrar nos presídios, uma política completamente equivocada, muitas pessoas presas provisoriamente sem necessidade. Acho que esse momento agora serviu para alertar todo mundo, o Supremo Tribunal Federal, o Governo Federal, o Ministério Público, os tribunais de Justiça. Todos estão agora tratando desse assunto com muita ênfase. E, o melhor, é que o Governo Federal começa agora a liberar o dinheiro que já deveria estar sendo liberado há muito tempo para construção e melhoria de presídios”, disse

Marconi lembrou que existe um mutirão — já iniciado em Goiás — que pretende reavaliar as condições de todos os presos temporários no país. Assim, será avaliada a necessidade de manter os detentos sob cárcere.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.