Augusto Diniz
Augusto Diniz

Imortalizada no The Cranberries, Dolores O’Riordan voltava à música com nova banda

Sem lançar um disco inteiro de canções inéditas desde 2012, grupo mais conhecido da cantora irlandesa, que vivia de raros shows, deu espaço a novidades no fim de sua vida

Something Else, lançado no dia 28 de abril de 2017, é o último registro de estúdio da banda The Cranberries. A morte da cantora, a irlandesa Dolores O’Riordan, nesta segunda-feira (15/1) aos 46 anos parece ter dado fim a um dos grandes ícones do pop rock mundial, mas que já vivia de uma carreira marcada por pouquíssimos shows e novidades nos últimos seis anos.

Depois do disco Wake Up and Smell The Coffee, de outubro de 2001, a banda só voltou a lançar um álbum feito todo de canções inéditas em janeiro de 2012, mais de dez anos depois. Roses (2012) marcava a volta do Cranberries de um hiato de seis anos sem se reunir, desde a pausa da banda em 2003 e quase 11 anos depois do lançamento do final de 2001. O álbum veio depois do anúncio da turnê de reencontro do grupo, em 2009 e 2010.

E 2010 foi o ano em que o Cranberries veio ao Brasil para fazer quatro shows no final de janeiro e início de fevereiro. A primeira turnê brasileira daquele ano incluiu Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte (MG) e Porto Alegre (RS). Em outubro, o grupo reapareceu para mais seis apresentações: Rio, São Paulo, Florianópolis (SC), Brasília (DF), Olinda (PE) e Fortaleza (CE). Todos os shows incluíram 22 canções da carreira da banda formada em Limerick, na Irlanda. A única exceção foi a apresentação de 12 de outubro de 2010, no Rio, com 23 músicas.

Dreams, do disco Everybory Else Is Doing It, So Why Can’t We? (1993), retirada do primeiro álbum da banda, foi a escolhida para fechar todos os shows do Cranberries no Brasil. Apenas em 2012 o grupo voltaria a fazer uma quantidade considerável de shows, que não chegaram a 90.

Depois disso, o grupo viveu de raras apresentações ao vivo. No muito bom disco acústico Something Else (2017), apenas três músicas são novidades: The Glory, Rupture e Why. The Cranberry Saw Us, primeiro nome da banda, usado apenas no dois primeiros anos (1989-1990) de existência do grupo formado pelos irmãos Noel (guitarra) e Mike Hogan (baixo), o baterista Fergal Lawler e o vocalista Niall Quinn (1989-1990), logo foi substituído por The Cranberries. Assim como o vocal com a entrada de Dolores em 1990.

O Something Else tem cara de regaste de uma carreira perdida e que já não tinha muito mais o que apresentar. Mas traz muito do que o Cranberries fez de melhor desde 1989 em dez das 13 faixas. Para os fãs da banda, é uma sequência matadora que começa em Linger e segue com Dreams, When You’re Gone, Zombie, Ridiculous Thoughts, Ode To My Family, Free To Decide, Just My Imagination, Animal Instinct e termina o revival acústico com You & Me.

Uma bela despedida antecipada, meio que sem querer, do Cranberries. E tudo isso gravado na Universidade de Limerick, cidade em que a banda surgiu, ao lado da Orquestra de Câmara da Irlanda (Irish Chamber Orchestra).

Mesmo sem a causa da morte divulgada, a notícia pegou de surpresa todo mundo. Na página oficial da banda no Facebook, o anúncio do falecimento de Dolores nesta segunda-feira foi feito com a informação de que ela estava em Londres, na Inglaterra, para uma curta sessão de gravações com o Cranberries. “Familiares estão devastados por saber da notícia da morte de Dolores e pedem privacidade neste momento tão difícil”, avisa o grupo no Facebook.

No hiato da banca, Dolores lançou dois discos sozinha. O primeiro deles foi Are You Listening?, em 2007, seguido de The Baggage (2009), no mesmo ano em que o Cranberries voltou do hiato de seis anos. As músicas da carreira solo lembram bastante o estilo consagrado pela banda irlandesa, mas já apresentam um lado mais experimental, que se fortaleceria em sua nova empreitada musical.

Em 2009, Dolores começou uma nova banda em Nova York (Estados Unidos). O trio D.A.R.K., formado pelos vocalistas Dolores O’Riordan e Olé Koretsky, além do baixista Andy Rourke, do The Smiths, lançou em setembro de 2016 seu disco de estreia. Science Agrees é diferente de tudo que o fã do Cranberries conheceu na carreira da cantora irlandesa.

Com uma atmosfera que mistura o pós-punk com a disco dos anos 1980, o álbum é considerado experimental para quem é lembrada por cantar, por exemplo, Zombie, Ridiculous Thoughts e Salvation.

Conheça o penúltimo disco lançado por Dolores, único de estúdio da banda D.A.R.K., Science Agrees (2016):

Escute o disco acústico  (2017), último de estúdio do Cranberries:

Relembre outras canções do Cranberries imortalizadas na voz de Dolores:

 

Deixe um comentário