Avatar
Marquinhos Marques

Professores decidem continuar em greve no DF

Assembleia dos professores na CLDF | Foto: divulgação

Em greve desde o dia 15 de março, professores da rede pública de ensino do Distrito Federal decidiram continuar a paralisação, após rejeitarem a proposta apresentada pelo governo de pagamento de até R$ 100 milhões, de acordo com a disponibilidade dos caixas do governo.

O Executivo propôs aos servidores o pagamento e informou que esse valor abrangeria, por exemplo, a quitação de licenças-prêmio, mas não inclui aumento de auxílio-alimentação ou saúde, reivindicação da categoria.

Os servidores reivindicam o pagamento da quarta parcela do reajuste salarial, prometida pelo governo Agnelo Queiroz (PT-DF), que deveria ter sido paga em outubro do ano passado. Mas o atual GDF disse não ter condições financeiras de arcar com o reajuste reivindicado pelos professores. O Tribunal de Justiça do Distrito Federal decretou a ilegalidade da greve, no último dia 27. A decisão estabelece o corte dos dias faltados. Em caso de descumprimento, a multa prevista é de R$ 100 mil por dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.