Marquinhos Marques
Marquinhos Marques

Corumbá IV é garantia de abastecimento de água para o DF

Obras são retomadas com previsão de conclusão em até 18 meses

Foto: Mantovani Fernandes

As obras do Sistema Produtor Corumbá IV, que vai garantir água potável para o abastecimento de Luziânia, Novo Gama, Valparaíso de Goiás e Cidade Ocidental, em Goiás, e Santa Maria e Gama, no Distrito Federal, são retomadas. O anúncio foi feito na última quinta-feira (11/5) pelos governadores de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), e do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), acompanhados do ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB-PE).

O projeto é desenvolvido por meio de parceria entre os governos de Goiás, através da Saneago, do DF, com a Caesb, e do Ministério das Cidades. A Saneago é responsável pela captação de água do reservatório de Corumbá IV, a estação de bombeamento em Luziânia e por 12,7 quilômetros da adutora que transporta a água até a estação de Tratamento de Valparaíso, sob a responsabilidade da Caesb, a quem cabe também a extensão de outros 15,3 quilômetros de adutora.

Segundo o governador Marconi Perillo, a expectativa é que todo o complexo seja entregue em no máximo 18 meses. A Saneago já concluiu 60% da captação e 97% da adutora.

O Sistema Produtor Corumbá IV vai atender a mais de 650 mil pessoas durante a fase inicial de implantação. Depois de completamente pronta, a obra vai beneficiar mais de 2,5 milhões de habitantes da região. O governador Marconi agradeceu o ministro Bruno Araújo “pela sensibilidade em dar celeridade à retomada dessa obra”. Segundo ele, “se não fosse a tenacidade e a sensibilidade do ministro, não estaríamos hoje aqui celebrando o reinício dessa obra que, sem dúvida, será uma das mais importantes já realizadas no Entorno do Distrito Federal em todos os tempos”.

Durante o discurso, Marconi reiterou o compromisso de construir o Hospital Regional de Valparaíso de Goiás. “Estamos na fase de aquisição do terreno. Será uma obra fundamental para Goiás, o Distrito Federal e o Brasil”, salientou.

O ministro Bruno Araújo denunciou que na gestão anterior do governo federal foram autorizadas obras na área de saneamento básico que não seriam realizadas por falta de recursos. “Logo que cheguei no Ministério encontrei um volume de compromissos nessa área de saneamento e abastecimento de água além da capacidade da Pasta. O governo passado assinou contratos com governadores e prefeitos que equivalem a 41 anos do orçamento do Ministério das Cidades”, acusou. Diante desse quadro, o ministro disse ter assumido o compromisso de só participar de autorização de início de obras quando tivesse a convicção de que todos os recursos estivessem garantidos para sua execução.

Bruno Araújo aproveitou a solenidade para anunciar algumas obras previstas no plano de investimentos do Ministério das Cidades para Goiânia e o Entorno. Dentre elas, garantiu que a Pasta irá patrocinar a execução do projeto que permitirá a extensão do BRT que liga Santa Maria a Luziânia, “obra fundamental para dar qualidade de vida às pessoas que perdem horas e horas no deslocamento entre a região e Brasília”.

Por fim, garantiu estar trabalhando para levar o presidente Michel Temer para a solenidade de inauguração da Estação de Tratamento de Esgoto de Águas Lindas, falou da perspectiva do prefeito Hildo do Candango e sua ansiedade para entregar a tão sonhada estação de tratamento para seu município, Águas lindas sairá de 0% de tratamento de esgoto para 80% de rede tratada, o trabalho que só aconteceu graças a luta do prefeito Hildo do Candango que hoje é considerado o melhor prefeito de Goiás, “Também pedi ao governador que marcasse em Goiânia a solenidade para anunciar a autorização do início da obra da ETE da capital, orçada em R$ 95 milhões”, concluiu.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.