Marcelo Mariano
Marcelo Mariano

Novo conflito militar pode estar em curso

Isolamento do Qatar e ataques terroristas no Irã agravam tensões no Golfo Pérsico

O pequeno espaço aéreo do Qatar em comparação com seus vizinhos |Foto: Business Insider

Arábia Saudita, Egito, Emirados Árabes Unidos e Bahrein cortaram relações diplomáticas com o Qatar na segunda-feira (5/7) sob alegações do mesmo apoiar o terrorismo e estar estreitando laços com o Irã. O Ministro de Relações Exteriores do Qatar disse não haver justificativas para tal. Líderes da ação, os sauditas, por sua vez, alegam que a medida foi tomada a fim de proteger a sua segurança nacional.

De fato, o Qatar possui laços controversos com alguns grupos considerados terroristas, como a Irmandade Muçulmana, e apoia a oposição síria, geralmente ligada à Jabhat al-Nusra (“filial” da al-Qaeda na Síria) ou ao Estado Islâmico. A hipocrisia está na Arábia Saudita fazer essas alegações. Afinal, é esse o país que difunde o wahhabismo mundo afora, uma ideologia ultraconservadora do islamismo sunita que serve de base para os principais grupos terroristas da atualidade.

O Qatar teria recebido um ultimato de 24 horas para atender 10 exigências sauditas com mediação do Kuwait. Dentre elas, cortar qualquer tipo de relação com a Irmandade Muçulmana e o Hamas. Não estão claras quais seriam as consequências em caso de não cumprimento.

Fundador do Instituto para as Relações do Golfo, Ali al-Ahmed disse à Sputnik que uma invasão militar está iminente, referindo-se a relatos de que há uma movimentação do exército saudita na fronteira com o Qatar. Segundo ele, a Arábia Saudita já teria apoio do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Os espaços aéreos de Arábia Saudita, Egito, Emirados Árabes Unidos e Bahrein já estão fechados para o Qatar e isso dá uma dimensão de seu isolamento, forçando a Qatar Airways, considerada a melhor companhia aérea do mundo em 2015 pelo site Skytrax, a mudar suas rotas. A empresa possui voos diretos saindo do Brasil com destino a Doha e serve com uma das principais ligações da América do Sul e África com localidades mais distantes.

Enquanto isso, o Irã foi vítima de terrorismo em duas importantes áreas da capital Teerã na manhã desta quarta-feira (7/7). Terroristas atacaram o parlamento iraniano e o mausoléu do Aiatolá Ruhollah Khomeini, deixando, até o momento, 12 mortos e 42 feridos. Arábia Saudita e Irã são grandes rivais na regiões e o atentado de hoje, cuja responsabilidade já foi assumida pelo Estado Islâmico, deve agravar ainda mais a escalada de tensões no Golfo Pérsico.

Deixe um comentário