Hélio Rocha
Hélio Rocha

Um tiro no Réveillon

Como a comemoração da chegada de um novo ano deixou uma rua toda sem energia elétrica

Quando eu era menino, na pequena Corumbá de Goiás, havia a tradicional missa do galo, à meia noite, no Natal, e também missa no mesmo horário no dia 31 de dezembro.

Eu estava com nove anos de idade e foi à missa do réveillon com a minha avó Eudóxia. Morávamos na então Rua Sete de Setembro, hoje Waldemar Gomes Teles.  Quando voltamos, após a missa, tivemos dificuldade para chegar em  casa, pois a rua estava totalmente escura. No dia seguinte de manhã é que fomos saber o que acontecera. Na hora dos  foguetes, pessoas que possuíam armas costumavam também dar tiros para cima. Um fazendeiro que morava na rua foi à janela com revólver e atirou para cima. Por incrível que pareça a bala arrebentou um fio da rede de energia elétrica e causou a escuridão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.