Hélio Rocha
Hélio Rocha

Pais disseram a monsenhor que, no batizado, não chamasse o filho de “Ludovicus”

Os padrinhos eram ligados à UDN, principal adversária do político Pedro Ludovico Teixeira em Goiás

Morreu no ano passado em Goiânia piedoso e estimado sacerdote católico, o monsenhor Nelson Rafael Fleury.

Natural de Pirenópolis, serviu à Igreja Católica em sua terra, em Anápolis e em Goiânia.

Quando monsenhor Nelson Rafael iniciou sua carreira eclesiástica, o ritual da igreja era todo em latim, até mesmo o batizado.

Nelson Rafael Fleury, monsenhor da Igreja Católica | Foto: Reprodução

Ao realizar batizado, Nelson Rafael gostava de explicar aos pais e padrinhos como seria o cerimonial. Certa vez, explicando aos pais de uma criança que iria se chamar Luiz, o monsenhor disse que, no principal momento, diria “eu te batizo, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”, falando em latim. No caso dessa criança, Luiz, a chamaria de Aluisius ou Ludovicus.

O pai do menino fez então um apelo: “Não diga Ludovicus, não, senhor padre, pois os padrinhos são radicalmente udenistas”.

Pedro Ludovico era o principal líder político goiano e os udenistas (do partido UDN) seus principais adversários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.