Hélio Rocha
Hélio Rocha

O dinheiro da desapropriação

O Sítio Castanho, uma imensa vastidão de cerrado, deu lugar a construção de Brasília

Para que as obras de construção de Brasília tivessem início, em 1956, as  áreas do Planalto Central precisavam ser  desapropriadas. O então governador de Goiás, José Ludovico, prometeu ao presidente Juscelino Kubitschek resolver  isto rapidamente. Mas o dinheiro disponível na secretaria da Fazenda era insuficiente. O governador, então, enviou o  secretário Peixoto da Silveira a Belo Horizonte, falar com o Magalhães Pinto, político e grande banqueiro, Magalhães autorizou o empréstimo, não obstante fosse adversário político de Juscelino.

Em 15 de abril de 1955, a área onde seria construída a nova capital era, finalmente, definida. O Sítio Castanho, uma imensa vastidão de cerrado, seria desapropriado para dar lugar a uma cidade.

Uma resposta para “O dinheiro da desapropriação”

  1. Avatar fleurymar de souza disse:

    Prezado Hélio Rocha… só você para nos lembrar o quanto a disputa política já foi praticada com espírito público. A aquiescência do dono do Banco Nacional, adversário histórico de JK, é um primor de civilidade, de apego ao interesse maior da nação. Parabéns!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.