Hélio Rocha
Hélio Rocha

No Brasil existe a falsa esquerda

Alguns políticos infiltraram-se no Partido dos Trabalhadores e contribuíram para o afastamento de gente culta e honesta

Deputada e presidente do PT, Gleisi Hoffmann, ao lado do autoritário presidente venezuelano, Nicolás Maduro | Foto: Reprodução

Não se pode dizer que o Partido dos Trabalhadores, de modo algum, possua integrantes verdadeiramente de esquerda que também sejam cultos, éticos e que respeitem a integridade.

Para citar um bom exemplo, menciono o ex-prefeito de Goiânia Pedro Wilson. Passou ele por outro cargo executivo importante, a reitoria da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás), e mandatos bem exercidos de deputado estadual e deputado federal.

Pedro Wilson honra a antiga marca de bons esquerdistas – honestos, cultos e competentes. Até Carlos Lacerda, que foi uma espécie de líder da direita, respeitava os antigos políticos brasileiros de esquerda. Goiás enviou ao Senado um deles, Domingos Vellasco.

Aconteceu algo muito negativo nos últimos anos: políticos pseudoesquerdistas, antiéticos e incultos infiltraram-se no Partido dos Trabalhadores. Esses certamente contribuíram para o afastamento de esquerdistas cultos e honestos, como Cristovam Buarque e Hélio Bicudo. A atual presidente do PT, a deputada federal pelo Paraná Gleisi Hofmann, faz parte desse grupo.

Gleisi Hoffman é também alienada, a ponto de ser devota do atrasado regime sustentado na Venezuela pelo presidente Nicolás Maduro, excrescência condenada em todos os países democráticos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.