Hélio Rocha
Hélio Rocha

Como Benedito Valadares, futuro padrinho político, conheceu Juscelino Kubitschek

Com uma doença sexualmente transmissível, o governador de Minas chamou o jovem urologista para tratá-lo. Se tornaram amigos e aliados políticos

No ano de 2002, quando ocorreu o centenário de nascimento do presidente Juscelino Kubitschek, cujo último mandato político foi o de senador por Goiás, lancei uma biografia dele, destinado a jovens — “JK para a Juventude”. Quando estava produzindo o livro, um médico que fez seu curso na Faculdade de Medicina de Belo Horizonte, onde JK se formou, contou-me ter ouvido lá uma historieta. Mas não a mencionei no livro.

Juscelino Kubitschek, Benedido Valadares e Getúlio Vargas | Foto: Reprodução

A historieta é a seguinte. O governador de Minas, interventor federal como se dizia, na época, Benedito Valadares, chamou um assessor de confiança para revelar um problema.  Ele havia contraído uma doença sexualmente transmissível e não sabia o que fazer.

O assessor o informou que um jovem médico acabara de ser contratado pela Polícia Militar e que fizera um curso de especialização em urologia em Paris.

Benedito Valadares então pediu que o chamasse. Juscelino cuidou de Valadares e o curou. Assim ficaram amigos. Mais tarde, Valadares convidou Juscelino para ser prefeito de Belo Horizonte e assim JK iniciou sua carreira política — superando o mestre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.