Hélio Rocha
Hélio Rocha

Com 230 mil mortos, o Brasil precisa adotar uma política agressiva de vacinação

A vacinação está lenta demais e o presidente Jair Bolsonaro não reage com a emergência necessária, perdendo-se em debates infrutíferos

Jair Bolsonaro: presidente da República | Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Desde que o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta deixou o governo, em abril de 2020, a situação brasileira em face da pandemia gerada pelo Covid só foi piorando.

Agora se iniciou um momento que deverá ser esperançoso, o da vacinação, mas o processo se arrasta, lento demais, de modo que a contagem de óbitos continua (230 mil e os hospitais continuam cada vez mais cheios.

O ministro da saúde, Eduardo Pazuello, demonstra fragilidade e o presidente Jair Bolsonaro continua a formular declarações inconvenientes que só contribuem para piorar a situação.

Tal quadro precisa mudar, com urgência, e o sistema de vacinação entrar finalmente em seu ritmo desejável.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.