Euler de França Belém
Euler de França Belém

Espanto da imprensa com paixão de Lula sugere que velhos não têm direito a amar e ao sexo?

Não há motivo para estranhamento a respeito do namoro do ex-presidente com a socióloga Rosângela Silva

Vive-se de aparências, por vezes. Não há vida social sem hipocrisia. Amores acabam mas casais continuam juntos. O vulgo postula que se trata de interesses financeiros, a recusa em partilhar bens. Há as questões familiares. Há famílias felizes (notadamente os filhos) em que os pais, em termos afetivos, não o são. Há uma certa pressão — social e familiar — para que fiquem juntos. Não se deve descartar as dependências — cujos fios-laços não raro são invisíveis — que existem entre os infelizes. Há quem precise mesmo de uma certa dosagem de infelicidade para avançar? Talvez. Liev Tolstói, em “A Sonata a Kreutzer” (Editora 34, 120 páginas, tradução de Boris Schnaiderman), escreveu: “Dizer que a gente vai amar uma pessoa a vida toda é como dizer que uma vela continuará a queimar enquanto vivermos”.

Rosângela Silva, a nova paixão do ex-presidente Lula da Silva | Foto: Revista Veja

O enquadramento social e familiar leva à construção de uma vida dupla. Homens — talvez mais, pois são mestres da desfaçatez — e mulheres têm casos extraconjugais, consentidos ou não, e vão levando a vida. O presidente John Kennedy parecia viver um amor visceral com Jacqueline Kennedy, e, ao modo deles, talvez fossem felizes. Mas era mulherengo e o caso com Marilyn Monroe era apenas a ponta do iceberg de uma lista interminável de casos esporádicos e amantes “fixas”. O ex-presidente Bill Clinton permanece casado, mas manteve vários relacionamentos. Os presidentes Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek e João Goulart (disputou uma vedete com o jogador Garrincha) tiveram amantes. O terceiro, mesmo assim, teve um casamento feliz com a bela Maria Thereza Goulart. Os governos deles foram bons ou ruins porque tiveram amantes? Não, claro. A escritora Clarice Lispector manteve um relacionamento — apaixonado — com o poeta, cronista e tradutor Paulo Mendes Campos. Ele era casado. A vida é assim — ajustável apenas nas palavras. Os escândalos dos outros, que não raro se condena, são retratos dos nossos escândalos ou, quem sabe, dos nossos desejos… reprimidos.

O escândalo da hora, com a imprensa patropi plagiando o sensacionalismo dos tabloides britânicos, é o relacionamento do ex-presidente Lula da Silva com a socióloga Rosângela Silva, de 52 anos (chegaram a falar em 40 anos). Por que o suspanto de alguns ou de todos?

Lula da Silva, preso em Curitiba, encontra ao amor aos 73 anos | Foto: Reprodução

Tem, quiçá, a ver com a sexualidade dos (mais) velhos? Lula da Silva fará 74 anos em outubro deste ano. É novo? É velho? Sua energia mental é evidente e é possível que, a despeito das doenças e problemas da idade, seja um homem forte e ativo.

O que se quer dos velhos? Quem fiquem em casa. Se forem mulheres, que cuidem dos filhos, dos netos e, sobretudo, da cozinha. Noutras palavras, cobra-se uma espécie de renúncia à vida, sobretudo à sexualidade. Lula da Silva, aproximando-se dos 80 anos, deveria ficar quieto, cumprir sua pena (já deveria estar em prisão domiciliar) e, sim, “aposentar-se” (em todos os sentidos). Mas o político não aceita o destino “concedido” aos velhos. Mesmo preso, faz política, posiciona-se, recentemente concedeu uma entrevista irônica e inteligente, estocando aqueles que considera como “adversários” e, até, “inimigos”. Afirma que está lendo, e é provável que esteja mesmo. Antes da prisão, leu a biografia de Getúlio Vargas, a escrita por Lira Neto, e fez um comentário pertinente a respeito.

Quanto à paixão de Lula da Silva, o que dizer? Rosângela Silva, a “Janja Lula da Silva” — como seria conhecida —, é uma cinquentona bonita. Nas rodas, o que o velho machismo de homens e mulheres sugere é que deve ser uma mulher interesseira? Ora, por que uma mulher mais jovem — a diferença de idade entre os dois é de 21 anos — não pode amar um homem mais velho? E por que um homem mais velho não pode amar uma mulher mais jovem? O amor, a paixão e o sexo são belos — desde que as duas partes estejam envolvidas, não tenham sido pressionadas. Pelo que se sabe — e o que se sabe é pouco, exceto as fofocas divulgadas como se fossem informações precisas —, Lula da Silva e Rosângela Silva se gostam, têm interesse um pelo outro.

Rosângela Silva filiou-se ao PT na década de 1980 — quando o partido ainda não era poderoso, pois estava se constituindo. A revista “Veja” relata que a socióloga “foi contratada sem processo seletivo para trabalhar no escritório da Itaipu Binacional, em Curitiba, depois da eleição do petista”. A diretora financeira da empresa era a hoje deputada federal Gleisi Hoffmann, presidente do PT. Depois, foi para a Eletrobrás e voltou, em 2017, a Itaipu. Ganha salário de 17,5 mil reais por mês. Trata-se de um privilégio? Pode ser. Mas há outros ganhando o mesmo e até mais. Como não é concursada, o que estão querendo cavar? Sua demissão? É provável.

Insinua-se, aqui e ali — às vezes, afirma-se —, que Rosângela Silva é uma namorada “antiga”, e não recente, de Lula da Silva. Talvez seja. Talvez não seja. Mas o que, exatamente, nós temos a ver com a vida do ex-presidente e da socióloga? Nada. Mas, sabemos todos, mexer na vida íntima dos outros é quase o mesmo que mexer na nossa vida íntima. O prazer aos 73 e aos 52 (ou 40) anos incomoda a quem? A quem não tem prazeres? Não se sabe. É uma estupidade rejeitar ou não reconhecer o prazer dos outros.

Espirituoso, e quase sempre excessivo — chegou a falar em mulheres de “grelos duros”, o que seria sinônimo de mulheres firmes, arrojadas e corajosas, em contraposição a mulheres sem fibra, sem tutano —, Lula da Silva informa que pretende se casar. E “virgem”. Porque, assinala a “Veja”, “as normas de segurança da Polícia Federal não autorizam visitas íntimas”.

Comenta-se que os pobres apreciam Lula da Silva por causa da Bolsa Família e dos discursos de que, com o PT, teriam vez no governo. Há alguma — até muita — verdade na avaliação. Mas o Lula da Silva, que se apaixona aos 73 anos e não tem receio de confessar seu amor, torce para o Corinthians e aprecia uma boa cachaça, talvez agrade também por tais razões. Por não ser diferente da maioria dos brasileiros. Leitores visceralmente críticos vão apontar o dedo e “gritar”: “Mas ele é corrupto!” Pois é: não estão mentindo. Mas é um ser humano, com virtudes, defeitos — contradições, enfim. Rosângela da Silva, que ainda não se sabe quem é — no sentido de como “conhecemos” Lula da Silva —, mostra-se corajosa, mais do que interesseira, por se associar, amorosamente, a um dos homens mais execrados do país no momento. De comum, têm inclusive o sobrenome Silva.

Quanto aos moralismos, vale ler a frase “quer pureza? Não vá ao convento”. É provável que há “puros” na aldeia universal que são mais “impuros” do que Lula da Silva…

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

REINALDO SANTOS PAIM

Nossa mandou ver. EXCELENTE.

Haroldo Neves

Toda felicidade do mundo ao presidente Lula. Ele merece depois que a gangue de Curitiba para alija-lo das eleições arrancou dona Marisa de seus braços!