Euler de França Belém
Euler de França Belém

Bandeirinha que errou em jogo de futebol não deve ser execrada porque é mulher e bonita

Os homens temem o sucesso de mulheres em profissões que parecem tratar como uma espécie de reserva de mercado

bandeirinha 1O sucesso das mulheres incomoda os homens. Se a mulher é intelectual e bela, os homens costumam dizer: “Ela é bonita e inteligente”. O “inteligente” quase sempre aparecendo em segundo lugar e o “bonita” funcionando com um instrumento de corte para reduzir o “inteligente”. Se a mulher é feia e inteligente, dizem: “Tinha mesmo de ser inteligente, pois é feia”.

Ronda Rousey, campeã do UFC, é uma brava lutadora de MMA. Além de forte, é dona de uma técnica irrepreensível. Suas finalizações, quase arrancando o braço das adversárias, são respeitadas até pelas estrelas masculinas do octógono. Porém, quando é mencionada, falam primeiro de sua beleza, que é um fato, claro. A jovem às vezes exagera e, recentemente, disse que teria como vencer Floyd Mayweather, o poderoso campeão de boxe.

Uma vítima recente da própria beleza é a bandeirinha Fernanda Colombo Uliana, de 23 anos. Recentemente, errou ao marcar um impedimento inexistente do jogador Alisson, do Cruzeiro. O Atlético de Minas ganhou do Cruzeiro por 2 a 1. Mas a vitória em si nada teve a ver com a falha da profissional.

Entretanto, irritado e reforçando preconceitos seculares, o diretor de Futebol do Cruzeiro, Alexandre Mattos, atacou a jovem e disse que, no lugar de trabalhar como bandeirinha, deveria posar nua para a revista “Playboy”.

Formada em educação física na Universidade Federal de Santa Catarina, Fernanda Uliana está fazendo especialização em reabilitação física de grupos especiais, é professora de hidrofitness e personal trainer. Por que é bonita e tem um belo corpo é obrigada a posar nua para revista masculina? Fernanda Uliana replicou: “Não tenho a menor intenção de ser modelo ou posar nua. Levo minha profissão muito a sério. Estou focada nisso”. Os repórteres Felipe Branco Cruz e Marina Galeano, da “Folha de S. Paulo”, desencavaram uma entrevista da bandeirinha, de 2013, possivelmente para corroborar a tese do diretor do Cruzeiro: “Dependendo da proposta, da minha necessidade financeira, irei analisar. Porém, repito, agora não poso nua”.

Árbitros e bandeirinhas erram com relativa frequência e, na maioria das vezes, não se trata de algo deliberado, porque os profissionais em geral são sérios e sabem que estão sendo vistos em todo o país, pois os jogos da Série A são transmitidos por alguns dos principais canais de televisão, como Globo, SportTV (assinatura) e Band. O erro de Fernanda Uliana, se ela não fosse tão bonita, charmosa e carismática, certamente teria passado em brancas nuvens. Um comentarista pode criticá-la, mas, no dia seguinte, o assunto estaria esquecido. Mas a jovem, além de bonita, é mulher. O futebol é uma espécie de reserva de mercado dos homens — que parecem, mais do que escandalizados, assustados com o sucesso e a ascensão das mulheres em áreas antes consideradas tipicamente como masculinas.

Fernando Uliana, como várias outras mulheres, estão batalhando, com erros e acertos, para se firmar no mercado de trabalho. Na lateral ou dentro do campo, como bandeirinha ou árbitra, deve ser observada como profissional. Se errar, como no caso, deve ser criticada. Mas qual a necessidade, para diminuir a qualidade de seu trabalho, sugerir que deve posar nua para a revista “Playboy”? O diretor do Cruzeiro, Alexandre, que, apesar de ter Mattos no nome, não é selvagem, deveria pedir desculpas à garota, de fato, bela, de corpo escultural. Devemos punir a beleza com o ostracismo?

 

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

roberto de menezes

Alexandre matos, presidente do Cruzeiro resolveu xingar a bandeirinha, mas ano passado, quando o Criciuma foi vergonhosamente roubado no Mineirao, o pessoal do Cruzeiro ficou bem quietinho! Vão se enxergar!!!