Do Leitor
Do Leitor

“O governo do PT está tomando de volta tudo que deu para a sociedade nos últimos anos”

Layout 1Greice Guerra

Concordo plenamente com o artigo que a revista The Econo­mist publicou e foi tema do Editorial do Jornal Opção da última edição [“The Economist diz que culpado de o Brasil estar no atoleiro é o governo da presidente Dilma Rousseff”, edição 2069]. O Brasil vem sofrendo uma estagnação no setor produtivo desde 2009. A presidente afirmava o tempo todo que iria terminar o mandato com uma taxa Selic com apenas um dígito. Aconteceu totalmente ao contrário: terminou o mandato com taxa de dois dígitos e um pouco mais. Isso significa inflação, perda do poder aquisitivo, favorecimento do capital especulativo, encolhimento do setor produtivo da economia, desemprego, arrocho fiscal e monetário. Sem falar na queda dos investimentos.

Além disso, a situação escandalosa da Petrobrás e todos os atos de corrupção contribuem ainda mais para o descrédito do governo. O País vive um difícil momento econômico. Tudo que o governo petista deu para a sociedade e, principalmente, para a classe trabalhadora nestes últimos anos está tomando de volta em forma de aumento de impostos, energia, combustível e inflação dos alimentos. Na realidade, está fazendo a sociedade pagar a conta de suas corrupções. Em 2008, a bolsa não parava de subir, mesmo com a crise mundial e com a questão do “subprime” americano, que, de certa forma, favoreceu os Brics [sigla para Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul].

O que mais puxava o Ibo­vespa [índice da Bolsa de Valores de São Paulo] para cima eram as ações da Petrobrás, com a tal da descoberta do pré-sal. Onde está o pré-sal hoje? A Bolsa desaba quase todos os dias por causa dos escândalos da estatal. E o pior: ainda temos quatro anos pela frente com esse governo. Concordo também com a revista quando fala que nossas leis trabalhistas são arcaicas. São mesmo. Esse “manto trabalhista” para o menor é uma das razões do nosso atraso, deveria ser repensada. Resta-nos acreditar e trabalhar.

Greice Guerra é economista.

 

“Agora somos a Geni na imprensa internacional”

Jeferson de Castro Vieira

Li o texto da revista “The Eco­nomist” na quinta-feira, 26. Tra­duziria como “Brasil no atoleiro”. Duro pra caramba. Es­cu­la­cha com o Brasil como um ti­tâ­nico que afunda. Acho que ela foi longe demais. Não somos uma Argentina, uma Venezuela ou algo que o valha. A publicação vai na mesma linha do “New York Times”. Agora somos a Geni na imprensa internacional. Sou de um estilo mais conciliador: bato e assopro com os fatos.

Jeferson de Castro Vieira é economista.

 

“Texto que não se prende ao narrativismo”

Ana Paula Mota

O texto “Espetáculo mergulha em Guimarães Rosa, escorrendo literatura e dança pelos palcos” [Jornal Opção 2069, caderno Opção Cultu­ral] é surpreendente! Parabéns ao jornal por criar esta justaposição entre jornalismo e arte. Parabéns ao jornalista Yago Rodri­gues Alvim, por tecer um texto que não se prende ao narrativismo de algo que vai acontecer.

E-mail: [email protected]

 

rico“Serei sempre fã de José Rico”

Anderson Maurício

O meu amigo José Rico vai morar com Deus, ele também. Assim como escreveu na canção em que homenageou o grande campeão Ayrton Senna [“Herói da Veloci­dade”], é com muita tristeza que vejo esta notícia. Fui, sou e sempre serei incondicionalmente fã da dupla. Tenho certeza de que a música perde mais um de seus grandes ídolos.

José Rico tratava as­sim a arte, sempre colocando aqueles que já nos deixaram, os grandes talentos, à frente. Que o grande Pai onipotente o receba de braços abertos. Vai com Deus, Zum [apelido com que José Rico chamava as pessoas e também era chamado por elas], fico aqui ouvindo suas músicas e lembrando com muito pesar suas canções escritas e interpretadas. Nossos sentimentos a toda a família e que o seu parceiro Milionário tenha força para seguir o destino que escolher.

E-mail: [email protected]

 

“Sua voz jamais se calará”

Carlos e Crystie

É com profunda tristeza que postamos aqui nossa singela homenagem ao grande Zé Rico. Que você seja recebido pelos anjos do Bem. Sua voz jamais se calará. Seu estilo é só seu. Seu romantismo marcou muito para tantos casais, tantas pessoas. Perdemos uma grande estrela, um grande homem. Referência musical incomparável e insubstituível. Muito tristes!

Carlos e Crystie são uma dupla sertaneja de São Paulo.

 

tadeu“Professor Tadeu Arrais deu aula de gestão”

Maria Ester de Souza

Perfeito posicionamento do professor Tadeu Alencar Arrais na entrevista intitulada “A administração de Goiânia erra por não parar para se pensar” [Jor­nal Opção 2069]. Aula de geografia, aula de gestão. Parabéns!

Maria Ester de Souza é ar­quiteta e membro do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU).
E-mail: [email protected]

 

“Conhecimento sobre Goiânia”

Alberto Nery

O professor Tadeu Arrais deu uma aula de conhecimento sobre Goiânia. Mostrou que conhece bem nossa cidade e seus problemas. Pena que nossos vereadores, com exceção dos três ou quatro por ele citados, desconhecem nossa capital.

E-mail: [email protected]

 

“Sem afetação nem pedantismo de acadêmicos”

Talmon Pinheiro Lima

Gostei muito da entrevista do professor Tadeu. Ele discorreu com conhecimento e propriedade sobre os problemas de Goiânia, sem aquela afetação e pedantismo típicos de acadêmicos, e demonstrou ideias viáveis para melhorar a cidade. Parabéns.

Talmon Pinheiro Lima é advogado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.