Do Leitor
Do Leitor

Comunidade científica perde com a saída do “Dr. Cerrado”

Altair Sales Barbosa, o “Dr. Cerrado” e ex-professor da PUC de Goiás

Altair Sales Barbosa, o “Dr. Cerrado” e ex-professor da PUC de Goiás

Francisco Delmondes Bentinho

Sobre a matéria “Demissão voluntária da maior autoridade em Cerrado no Brasil evidencia crise na PUC Goiás” (Jornal Opção, 2093): Dr. Altair Sales Barbosa, hoje a maior sumidade em Bioma Cerrado, teve um início de trabalho excelente, trazendo para a comunidade científica os mais importantes resultados para se conhecer a biodiversidade deste imenso torrão do Centro-Oeste Brasileiro.

A felicidade de poder ter conhecido e até trabalhado com Dr. Altair Sales Barbosa, num momento em que na Diretoria do Departamento Cultural dos Centros do Professores de Goiás, partíamos para o interior nos finais de semana para em contato com os professores locais levar alguns conhecimentos e adquirir a experiência de vida que acontece no campo, com os professores de cada município que vistamos em nossas caminhadas.

Deixar os quadros da PUC-GO e parar trabalhos em andamento, só quem perde é a comunidade científica, pelos grandes avanços que podem ser alcançados om a experiência e capacidade de alguém, como é o Dr. Cerrado (como é conhecido Altair Sales Barbosa).

[email protected]

 

“O dr. Enil está usando a OAB para fins eleitorais”

Talmon Pinheiro Lima

Sobre a matéria “Advogados questionam se Enil Henrique estaria usando a OAB-GO para fins eleitorais” (Jornal Opção, 2092):

Nitidamente o dr. Enil Henrique está utilizando a OAB para promoção pessoal e intuito eleitoral. Por exemplo, está sendo veiculada no rádio uma peça a pretexto de propaganda institucional, onde se destaca a ênfase e a repetição do bordão OAB PARA TODOS, que deverá ser o nome da chapa dele, sabidamente dissidente do grupo OAB FORTE.

Talmon Pinheiro Lima é advogado.

 

“Se o PT fosse oposição, como ele se comportaria?”

Adalberto De Queiroz

Lendo a matéria “‘Fra­casso’ de Dilma é explicado por fatores que vão além da política” (Jornal Opção 2093), lembrei-me de uma peça do Oduvaldo Vianna Silva (o Vianinha), onde o personagem batia-se contra o galicismo contido na etimologia da palavra em português.
Fracasser, v.t., tem o viés de romper, fraturar, rom­per… (casser, fracturer, rompre. Se­ria por isso que o brilhante re­pór­ter que assina a matéria con­cedeu aspas ao fracasso de Dilma?
Outro aspecto da matéria é o que não se esconde no analista (como 99% deles) é visivelmente pró-pró-PT – o que se nota enviesadamente aqui:

“E a oposição? Sofre do mesmo cenário da situação”, ressalta Marco Aurélio. “A única diferença é que ela atira pedra e não tem responsabilidades de governo. O engraçado é que o PSDB sempre se apresentou como o partido da responsabilidade e, agora, atira para todos os lados. Além de não gostar do PT, o que o PSDB propõe? Não está propondo nada”.
Faltou perguntar ao Dr. Marco:

E se o PT fosse oposição, como se comportaria com os delitos similares de seu partido-siamês (o PSDB)?

A crise não tem aspas, tal qual o desastre do governo Dilma.
Boa e polêmica matéria.

Evoé, jovem Mestre Carreiro.

[email protected]

 

E se as esquerdas tivessem ganhado?

Marco Lemos

Sobre a matéria “E se o Cabo Anselmo for mais uma das vítimas da guerra travada entre a esquerda e a direita?” (Jornal Opção 2093):

De repente sinto uma aragem fria na espinha, ao imaginar o que teria ocorrido se as esquerdas tivessem ganhado em 1963/64… e se tivesse prevalecido essa mixórdia ideológica de Pecezão, PCdoB, Po­lop, AP, Var-Palmares, MR-8…

O quanto não teríamos de “processos de Moscou” tupiniquins e uma nova “Revo­lução dos Bichos”, com seus Napoleões e Bolas-de-Neve…

Marco Lemos é desembargador do Distrito Federal

 

Covardia com um cabo pé-de-chinelo

Hugo Studart

Cabo Anselmo era um sindicalista autêntico, ligado ao PCB. Preso, aceitou delação premiada (e infiltração) em troca da vida. Como centenas de outros militantes, inclusive uma certa Vanda, da VAR-Palmares, e um certo Daniel. Para quase todos os demais, a delação compensou. Para Anselmo, contudo, recaiu toda a culpa do mundo. Covardia com um cabo pé-de-chinelo.

 

Foi tragado pela voracidade

Arnaldo B. S. Neto

Na minha época de militante era tido como o Calabar da es­quer­da. Um personagem tra­gado pela voracidade daqueles dias trágicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.