Do Leitor
Do Leitor

“Attilio não se simpatizava com a maçonaria”

Juca Fernandes

Achei muito importante a abordagem do jornalista Fre­derico Vitor sobre a planta urbanística de Goiânia po­der conter um símbolo maçom (Jor­nal Opção 2031). Ao iniciar meus es­tudos para a realização do docume­ntário “Attilio – Traços, Arquitetura e Cidades”, que biografa a vida de At­ti­lio Corrêa Lima, tinha eu muita convi­c­ção desta simbologia oculta no traçado da cidade. Entrevistei pessoalmente o filho dele e foi uma das minhas pri­meiras perguntas se era Attilio ma­çom (resposta que tenho gravada). A res­posta de Bruno é de que o pai era ateu, sendo este um impeditivo para a­dentrar na maçonaria, que Attilio definitivamente não era maçom, que não houve intenção alguma do autor do projeto de esconder qualquer simbologia no traçado da cidade, que o manto de Nossa Senhora foi uma co­lo­cação de Dona Gercina ao ver pela primeira vez o plano da cidade e que, por educação, Attilio deixou passar a co­locação, já que o mesmo, além de ateu, não simpatizava de maneira al­guma com a fé católica (inclusive vi do­cumentos que confirmam estas afirmações, mas que, a pedido da fa­mí­lia, não pude divulgar) e que o urbanista também não simpatizava com a maçonaria.

Como o sistema utilizado neste projeto não era novidade e fora utilizado intensivamente pelos franceses em suas colônias, pode até ser que os criadores do sistema tenham se inspirado em alguma simbologia. Eu, particularmente, acredito que não, pois todos os aspectos formais são racionalmente justificados. Quanto à participação de Ar­mando de Godoy no plano está concentrada no Setor Sul e em algumas alterações no formato da Praça Cívica, sendo assim podemos perceber que nas áreas em que Godoy interviu não há nenhuma relação com a simbologia maçônica, pois o traçado das Avenidas Anhanguera, Araguaia, Paranaíba e Goiás foram mantidos conforme o projeto inicial de Corrêa Lima. Espero ter contribuído.

E-mail: [email protected]

 

“Ermírio de Moraes, meu paraninfo”

Pedro Trabulsi Neto

Antônio Ermírio de Moraes [que morrei da segunda-feira, 25], gente muito boa, foi meu paraninfo na formatura em Administração, em 1990. Cumprimentei-o pessoalmente, pois eu levava no dia da formatura a bandeira do Corinthians — e todos os que o conheciam sabem que para ele, então, presidência só do Co­rin­thians; do Brasil não, como ele brincava. Que Deus o tenha. Sempre serei admirador.

E-mail: [email protected]

 

“Um homem público como poucos”

Aguimar Jesuíno da Silva

Este jornal noticia que o ex-prefeito de Iporá José Antônio morreu após lutar 13 anos contra um câncer. José Antônio era meu amigo. Um homem público como poucos, pessoa admirável, honesta e trabalhadora. Foi, sem sombra de dúvidas, em sua primeira gestão, o melhor prefeito de Iporá. Fará muita falta. Des­canse em paz, amigo.

E-mail: [email protected]

 

“Eu abraço as ideias da direita”

José Agostinho

cartas.qxdSobre o artigo de José Maria e Silva “Direita só pode ir às urnas em forma de caricatura” (Jornal Opção 2042), pelo menos é um recomeço da direita no Brasil. Os esquerdistas, como esse colunista da “Folha de S. Paulo”, tentam desqualificar imediatamente quaisquer indícios da direita. Concordo plenamente com as ideias do Pastor Everaldo (PSC) e também com as de Levi Fidelix (PRTB), pois o Estado brasileiro é um gigante que tem até estatal para entregar cartas. Já a Petrobrás é um verdadeiro reduto de pessoas com interesses escusos e pessoais que só lesam o Brasil. Vejam o exemplo da Vale e das teles. Com a privatização, a telefonia deu um salto de qualidade e a Vale hoje é uma das maiores mineradoras do mundo. A Embraer é outro exemplo.

Sei que a direita no Brasil ainda é apenas uma gota no oceano, mas se já começa a incomodar alguns já é alguma coisa. Como brasileiro, vendo o total descaso dos governantes de esquerda no Brasil e querendo mudanças reais e concretas para o nosso País, abraço com entusiasmo as ideias conservadoras que, ao contrário do que muitos pensam, pregam o respeito à família, ao indivíduo, ao mérito, aos valores religiosos, à lei e a ordem.

Com isso, me considero de direita e abraço essas ideias, pois hoje em dia existe um fosso muito grande entre o que eu, como eleitor e cidadão, quero e penso para o Brasil e o que a esmagadora maioria dos políticos fazem, ou seja não representam de fato as aspirações e convicções do eleitorado que, em essência, é conservador, mas de maneira geral está preso e hipnotizado pela maior parte da imprensa e políticos esquerdistas, que se utilizam das ideias ideológicas de Antonio Gramsci para se perpetuarem no poder.

Com isso, tenho fé e esperança de que esses governantes que estão no poder hoje, serão um dia apeados, até porque o Terceiro Reich de Hitler era para durar mil anos e, apesar dos malefícios que causou para a humanidade e de pequenos resquícios de existência, está sepultado nas entranhas da história. Já os ideais comunistas, ao contrário, migraram e tentam o renascimento na América Latina, ancorados pela esquerda brasileira, Fidel Castro e Foro de São Paulo. Por isso, enfatizo mais uma vez, sou de direita, pois ícones da esquerda como Lênin e Stalin foram verdadeiros facínoras da história que serviram de inspiração para Hitler e que podem renascer no Brasil, se o nosso País continuar no caminho que está trilhando atualmente.

E-mail: [email protected]

 

“Duro na casca e amável no coração”

Leitores elogiam Derval de Paiva

Leitores elogiam Derval de Paiva

Edson Cabral Oliveira

Leio a entrevista de Derval de Paiva no Jornal Opção (edição 2042). Como sempre, íntegro, inteligente e sincero. Afirmo, sem ter medo de errar, que é o mais preparado político tocantinense. Um “emedebista” autêntico. Capaz de enxergar o futuro, pelo luz da tradição política do Tocantins. Ser­tanejo duro na casca e amável no coração.

E-mail: [email protected]

 

“Derval de Paiva é uma lenda viva”

Gilnei Tavares

Derval de Paiva é a maior lucidez política do Tocantins e de Goiás, e talvez do Brasil. Uma lenda viva.

E-mail: [email protected]

 

“Derval, o orador dos oradores”

José Robeto

Meus parabéns a Derval de Paiva. Não é de hoje e é de conhecimento de todos os que me conhecem o quanto tenho admiração por ele, para mim o eterno orador dos oradores e conhecedor da política. Será eternizado o “professor” da política tocantinense.

 

“Há muitos interessados no PT continuar no poder”

Orley José da Silva

Sobre a nota “Lula pode ser o candidato do PT a presidente. Dilma pode ser substituída até 15 de setembro” (Jornal Opção Online), há mais interessados em que o poder continue com o PT. O Foro de São Paulo é um deles, haja vista que precisa da força do Brasil para continuar o processo de espalhar o socialismo pela América Latina e Caribe. Outro é Cuba, que espera continuar se beneficiando dos novos países socialistas da região. Além do mais, Rússia e China esperam fidelizar parceiros militares, comerciais e ideológicos no quintal americano. Esta que seria, finalmente, a concretização do antigo sonho da velha Rússia comunista, ingrediente da Guerra Fria.

A derrota eleitoral do PT, portanto, significa a derrota dos gigantescos interesses dos atores citados. Como se vê, esta não é uma eleição qualquer e nada, “nada mesmo”, pode ser descartado para que os objetivos sejam alcançados.

E-mail: [email protected]

 

“Irresponsabilidade do sr. Lula”

Everaldo Veiga

Se esta possibilidade fosse concretizada, provaria mais uma vez a falta de responsabilidade deste senhor chamado Lula, colocando alguém desqualificada para presidir o Brasil por quatro anos.

E-mail: [email protected]

 

“Iris perderá quantas vezes se candidatar”

Homero a Machado

Sobre o editorial “Iris Re­zende tem valor histórico mas trava fortalecimento das oposições e renovação política em Goiás” (Jornal Opção 2042), é preciso dizer que o tempo do Íris já se foi há muito tempo. Por isso perderá mais uma vez. E mais uma vez. Quantas vezes ele candidatar.

E-mail: [email protected]

 

“Entrevistas mostram que ninguém está com a bola toda”

Antonio Alves

Os entrevistadores do “Jornal Nacional” tiveram o mesmo rigor com todos os candidatos que passaram pela sabatina e, uma vez que todos têm algo de que possam reclamar, quem foi mais inteligente procurou demorar o máximo possível nas respostas, pois, assim, muitas perguntas indesejáveis não puderam ser feitas. Ninguém está com essa bola toda; se fosse assim, teriam topado fazer uma CPI mista para investigar os governos de PT, PSDB E PSB. Em outros tempos, a Globo tomava partido e levava vantagem; hoje, as emissoras de televisão estão mais em posição de igualdade tanto pela sua representatividade como por força da lei.

E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.