Elder Sales

O caso da fosfoetanolamina: o que fazer quando a esperança é um remédio que acham que não precisa ser testado?

Será que mudando o nome de medicamento para suplemento as células agiriam diferentemente? Os riscos seriam minimizados? Será que existe uma forma de negociar com o metabolismo celular e politicamente mudar as regras do jogo, ou seja, da vida, como acontece no Congresso Nacional?

Colocando mais um pouquinho de água nesse mingau que não ganha consistência devemos perguntar: que novela é essa da fosfoetanolamina?

Por que existem tantas opiniões e diversos argumentos a favor e contra seu uso? Quantas vertentes delineiam essa questão que é de grande impacto para a saúde pública?

Há em tudo uma certeza, a “fosfo”, como é chamada por alguns dos poucos usuários que conseguiram a liberação por determinação judicial, reflete, mais uma vez, o despreparo do governo e o que há de obscuro nas pesquisas científicas, entre outros tanto interesses.

Uma célula normal e uma tumorosa: a "fosfo" pode mesmo agir contra a segunda? | Foto: www.portalsaudenoar.com.br

Uma célula normal e uma tumorosa: a “fosfo” pode mesmo agir contra a segunda? | Foto: www.portalsaudenoar.com.br

E o caos já começa quando uma decisão judicial “força” a liberação do uso de um suposto medicamento. Que tal se um pesquisador da área pudesse determinar à Justiça que liberasse mais verba para que as investigações se desenrolarem ao ponto de dar identidade, atividade, qualidade, pureza e a inocuidade necessária para essa substância?

Se neste País existe sempre uma confusão de poderes, o que um juiz entende de farmacologia está diametralmente oposto ao que um pesquisador em ciências biológicas entende sobre códigos do Direito Penal ou Civil. Não é o apelo da população e da mídia que pode simplesmente estreitar os longos anos de observação para que uma droga seja inserida no mercado.

Ainda que os resultados tenham sucesso em alguns casos, muita coisa ainda precisa ser esclarecida. A gente até espera, mas de repente, na contramão do filosofo Tiririca, para quem o ruim que aí está não tem como piorar, vem o anúncio de que a “fosfo” poderia ser liberada como suplemento. Aí eu fiquei pensando nas artimanhas que os políticos fazem para ludibriar o povo: tipo votar aumento de salários na época do carnaval, ou eleger como ministro um ex-presidente a título de salvar o Brasil…

Me ajudem: será que mudando o nome de medicamento para suplemento as células agiriam diferente? Os riscos seriam minimizados? Será que existe uma forma de negociar com o metabolismo celular e politicamente mudar as regras do jogo, ou seja, da vida, como acontece no Congresso Nacional? Será que o câncer é a corrupção do universo celular?

Só de criar a especulação em torno do tema, as entidades responsáveis revelam um descuido. Afinal, há ou não critérios bem estabelecidos para se liberar um medicamento? Há!

Muitos interesses se diluem e se camuflam em torno dessa molécula. Será que interessa pra alguns a cura do câncer? Será que o objetivo da divulgação prévia de resultados não testados em longo prazo teve como propósito salvar vidas? E o câncer, só existe um mecanismo para deflagrá-lo? Ou seria razoável pensar em controle uma vez que a desprogramação celular está registrada também no código genético?

Essas dúvidas podem ser sinalizadoras, assim como a fosfoetanolamina, para possíveis e parciais respostas. O que grita dentro de todos é o sonho de que todas essas polêmicas tivessem como mote, realmente, o bem-estar das pessoas fragilizadas com a doença. Essas, sim, merecem o respeito e a consideração, não merecem ficar no meio de tantos interesses éticos ou não, comerciais ou não.

Por enquanto, a esperança é um remédio que não precisa ser testado. É isso?

26 respostas para “O caso da fosfoetanolamina: o que fazer quando a esperança é um remédio que acham que não precisa ser testado?”

  1. Alarico Caiser Soze disse:

    O que interessa no momento, é que existem muitas pessoas beneficiadas de uma forma ou outra pela substancia. Pessoas desenganadas pela medicina e pelos médicos, que tiveram um fio de esperança e melhoras reais com o uso da “fosfo”, negar a substância a essas pessoas agora é assinar uma sentença de morte para elas, apenas isso, todo o resto é discussão inútil e pode ser resolvida em outra hora, outro momento.

  2. Joao Isidio disse:

    O fato é que se a “pílula do câncer” dependesse apenas do caminho “certo” dos métodos científicos convencionais para se aprovar um novo medicamento, este (fosfo…) com certeza já teria “morrido na praia”! Pois de acordo com o primeiro desses testes oficiais, essa substância “não ataca as células cancerígenas”, ou seja, provavelmente não se teriam seguido adiante com os demais testes, se tivéssemos usado apenas esse “padrão internacional” (sem efeito inicial = sem eficácia = fim dos testes).

    Ainda bem que houve um grande clamor em defesa à essa pílula, pois pelos métodos convencionais, os cientistas oficiais NUNCA teriam continuado com os testes posteriores, que é justamente onde a substância mostraria sua ação e benefícios testemunhado por centenas de pessoas!!!

    Me pergunto, quantos “bons candidatos” a medicamentos já não foram descartados antes usando esse método científico tradicional (sem efeito inicial = fim dos testes)???

  3. Fransérgio Mendonça disse:

    Existe uma verdadeira organização comercial em torno dos medicamentos, inclusive com a participação da grande parte dos médicos, que aceitam “Rotular” certos predicados que protege a industria farmacêutica, garantindo assim manutenção do circulo vicioso perverso de lucro financeiro, em prejuízo de um tratamento melhor para o povo.

  4. Ubaldo Aquino disse:

    A situação é preocupante, pois temos uma situação de desespero por parte dos pacientes que é justificável, pois somente quem está no leito de um hospital e acometido de tal enfermidade sabe o quanto é difícil a luta contra esta enfermidade “Câncer”, não somente os pacientes, mas também seus familiares , buscando a qualquer preço a cura da enfermidade. Do outro lado temos uma situação política e aproveitadora da situação para a promoção pessoal, pois poderíamos estar avançado nas pesquisas desse composto químico para a comprovação de sua eficacia, assim como já tivemos situações com os medicamentos para a Aids, a pírula do dia seguinte, a unificação dos 3 medicamentos em um só medicamento. Não é a questão da pesquisa e testes clínicos , e sim das atitudes escusas que estão por trás disso, onde estão usando os pacientes como apoio político. Essa manobra de aprovar como suplemento alimentar é notoriamente o “Geitinho Brasileiro” de fazer as coisas, ; Sabemos fazer certo e temos recursos científicos e financeiros para tal, é só querer FAZER, pois quando QUER FAZ.

  5. Tatiane disse:

    Professor Elder creio que se falamos que o fármaco é um suplemento e depois de um tempo ocorrer um efeito não desejado, fica mais fácil falar que era um simples suplemento então não tem problema. Visto que quem tem câncer precisa é de medicamento, ou seja, fosfoetanolamina é um medicamento e não suplemento.

  6. Jefferson Weiller disse:

    Quer queiram ou não, a partir de hoje, o mundo não será o mesmo, pois testemunharão uma revolução na medicina oncológica, mas não ficará só nisso, pois outras doenças também serão objeto de estudos e tratamento com a FOSFOETANOLAMINA SINTÉTICA.

  7. Ubaldo Aquino disse:

    Caros Amigos

    Mais uma vez o “Jeitinho Brasileiro” está se fazendo presente, não conseguimos fazer com que a Fosfoetanolamina fosse um medicamento, agora vai virar suplemento alimentar, Pergunto? Qual será o efeito nutricional?
    Isso já virou vergonha nacional, pois de um lado está os pacientes junto com seus familiares contidos no leito de seus enfermidades, sendo enganados e abusados nesse momento de fragilidade, pois somente eles, pacientes e familiares, sabem de sua dor e de sua continua perseguição em busca de tratamento e cura desse mal que os acometem. Os órgãos relacionados à saúde pública são os primeiros a banalizar o próprio sistema de saúde, colocando em primeiro lugar seus interesses pessoais, políticos e de Ego individualizado. Creio que quando queremos Fazer , Fazemos, exemplo disso é o coquetel para o tratamento da Aids hoje disponível em um único comprimido e também a pírrula do dia seguinte. Pergunto; Então Porque não iniciamos, investimos, tenhamos vontade, para fazer o que diz o protocolo cientifico para o desenvolvimento de medicamentos , contemplando em suas etapas comprobatórias de eficácia e do seu grau de toxicidade. Sabe o Por que? Porque não estamos focado no paciente, na preservação da saúde na melhora de qualidade de vida de suas famílias, estamos sim, livrando a nossa responsabilidade quanto sociedade , quanto ao órgãos públicos da incompetência e dos atos obscuros das vantagens ilícitas

  8. Munique Gabrielly disse:

    Eu discordo da possível liberação como suplemento pois o fato de mudar a classificação não reduz os riscos da utilização deste “medicamento”.Na minha opinião o governo não deveria ceder à pressões populares influenciadas pela mídia, porque a principal razão de existir procedimentos burocráticos para a liberação de medicamentos é garantir a segurança e integridade das pessoas.

  9. zilvaine disse:

    Bem sou a favor do uso do medicamento, pois de alguma forma ele tem melhorado a vida de alguns pacientes que usam esse medicamento, apesar de ser a favor tambem acho extremamente importante o estudo aprofundado desse composto no organismo para verificar a toxicidade dele no organismo e seus reais ou real mecanismo de ação e possiveis efeitos colaterais, so não concordo em liberar e ficar por isso mesmo, desde que continue ou comece um estudo mais aprofundado sobre o composto sou a favor.

  10. zilvaine disse:

    Bem sou a favor do uso do medicamento, pois de alguma forma ele tem melhorado a vida de alguns pacientes que usam esse medicamento, apesar de ser a favor tambem acho extremamente importante o estudo aprofundado desse composto no organismo para verificar a toxicidade dele no organismo e seus reais ou real mecanismo de ação e possiveis efeitos colaterais, so não concordo em liberar e ficar por isso mesmo, desde que continue ou comece um estudo mais aprofundado sobre o composto sou a favor.

  11. zilvaine disse:

    Sou totalmente a favor do uso desse medicamento, se o paciente apresenta alguma melhora porque não utilizar? Mas sou totalmente a favor tambem que seu uso liberado tambem continue o estudo sobre possiveis reações toxicas e efeitos colaterais no decorrer do tempo de uso.

  12. Caroline Vieira Marques disse:

    Quando se tem alguem com uma doença tão miserável que nem essa, a esperança mesmo que não seja a mais correta, nem o mais eficaz, ou muito menos seguro, já é uma opção, na maioria das vezes é a única opção. Quem tem câncer tem pressa. Os testes são de extrema importância, isso é verdade, mas quando se tem tanta burocracia, e tanta má vontade do governo, infelizmente nao dá para esperar.
    Na minha opinião essa demora toda é de propósito, a não liberação da “pirula do cancer” tem vantagens para o governo e para as indústrias economicamente falando.

  13. Adriana gomes da silva disse:

    Depois de muitos anos de estudos e de pesquisa chegamos a uma resultado mais esperado por muitos a fosfoetanolamina a esperança de vencer o câncer. Mais infelizmente acham que não precisam ser testado, como isso pode e estar acontecendo todos medicamentos que tem no mercado foram testados ate mesmo um simples analgésico para tirar uma pequena dor,agora acham que não precisam testar um medicamento para curar o câncer sendo que uma doença mais perigosa que existe.Sera que estão cansados não dão conta mais de fazer mais nenhum teste ou acham que são os homens do futuro já sabem do resultados se for isso maravilha que bom nossos problemas vão ser resolvidos de agora em diante sem precisamos de tanto esforço e dedicação.

  14. Adriana gomes da silva disse:

    .Depois de muitos anos de estudos e de pesquisa chegamos a uma resultado mais esperado por muitos a fosfoetanolamina a esperança de vencer o câncer. Mais infelizmente acham que não precisam ser testado, como isso pode e estar acontecendo todos medicamentos que tem no mercado foram testados ate mesmo um simples analgésico para tirar uma pequena dor,agora acham que não precisam testar um medicamento para curar o câncer sendo que uma doença mais perigosa que existe.Sera que estão cansados não dão conta mais de fazer mais nenhum teste ou acham que são os homens do futuro já sabem do resultados se for isso maravilha que bom nossos problemas vão ser resolvidos de agora em diante sem precisamos de tanto esforço e dedicação.

  15. Rodrigo salomé disse:

    Será que todos os pacientes que usam essa substância estão em estágio terminal?

    Ou alguns tem bom prognóstico e, iludidos pela propaganda, resolvem abandonar o tratamento e usar essa substância?

  16. Antonio inacio disse:

    Ei! Que negocio é esse de os médicos contestarem o medicamento milagroso. Se a fosfoetanolamina não é nem medicamento. O que o artigo deveria tratar e os médicos deveriam contestar, se fossem menos preocupados com o próprio umbigo, é porque não se faz pesquisa clínica para testar a substância em humanos

  17. Douglas Lício Campos disse:

    É muito difícil se colocar na pele de alguém com câncer ou que tenha uma pessoa amada lutando contra a doença. Porém, a história mostrou que, sem testes clínicos bem controlados, é impossível dizer se um determinado tratamento que funcionou nas células e em modelos animais de laboratório, realmente vale a pena para pacientes com uma doença terminal. Por isso, é melhor lutar para que os testes em humanos possam ser feitos, para tratamentos promissores, do que exigir que uma universidade que fez uma pesquisa básica como a USP seja obrigada pela justiça a distribuir um medicamente que não foi nem testado e muito menos aprovado para tratar câncer em humanos. E quem ganha e quem perde com essa novela toda? O desenrolar de cada cena não sai e quem sai perdendo realmente nisso são os protagonistas da novela que somos nós. Seria justo simplesmente tornar a fosfoetanolamina como suplemento? Não! Só estariam jogando toda responsabilidade pra cima das pessoas.

  18. Gutembergue Sousa disse:

    Concordar ou não, com o uso da fosfoetanolamina ao que parece a indústria de medicamentos está mais preocupada com o lucro que poderá obter sem realmente se importar com o bem estar da população e daqueles que necessitam do uso dessa substância, mesmo que haja respostas positivas ao tratamento com a fosfoetalonamina não sabemos de certo o que essa substância poderá causar futuramente aos seus usuários, humildemente acredito que deve-se acelerar o processo em pesquisas para constatar a segurança de uso dessa substância afim de evitar maiores danos aos usuários.

  19. Romullo eduardo disse:

    Já que o apelo popular é tão grande em torno da liberação dessa substância pq não liberar verbas para elucidações de sua atividade ao invés de modificar o nome para que seja liberado como suplemento e não medicamento burlando totalmente o sistema. O congresso não respeita o país como um todo imaginem se vão respeitar os doentes. Sera que as grandes industrias farmacêuticas querem descobrir a cura do cancêr? Sera que essa substância realmente tem algum poder farmacológico mesma que seja em um restrito grupo de cancêr?! Não sabemos é talvez nunca saberemos.
    Somos vitimas de um sistema corrupto onde quem tem mais pode mais…

  20. Yan Oliveira disse:

    Obviamente absurdo o governo achar que se mudar a classe de um substância os efeito serão diferentes. Como liberar uma substância que ainda não ha testes que comprovem cura ou agravamento… Fica bem claro que houve falha governamental em liberar o uso de tal substância sem o estudo aprofundado que comprovem sua real eficácia.

  21. Dayane Alves De Jesus disse:

    Eu não concordo com a liberação da Fosfoetalanolamina,primeiramente todas as substância tem que passar por testes, isso de liberar como suplemento não concordo as pessoas não sabem qual a interação da substância no organismo,seu efeitos colaterais,o que apode causar no futuro o seu uso inadequado pode trazer benefícios agora mas no futuro pode agravar a doença, ou até mesmo desencadear outras doenças.

  22. gisleine morais de araujo disse:

    nossa e um absurdo liberar um medicamento antes mesmo de faze todos testes, necessários agora quer liberar como suplemento alimentar, eu pergunto e os efeitos colaterais será que não vai ter? e uma vergonha para nossa ciência medicinal .
    Temos e que ter respeito com os familiares e paciente que estão no leito entre a vida e morte. eles só tem um esperança da cura do câncer, são vida de milhares pessoa tem que ter qualidade e integridade no bem estar das pessoas.

  23. Ludmila Rodrigues disse:

    Infelismente a população não tem um conhecimento que deveria ter para saber realmente o risco que estão passando em administrar esse medicamento sem os testes que são obrigatórios para a liberação, mas a situação dessas pessoas com esta doença não é fácil muito triste e sofrido, tudo que eles querem é ser curados. O erro foi em ter liberado este medicamento sem os teste obrigatórios, agora o que as autoridades tem que fazer é retirar o medicamento e não colocar ele como um suplemento isso não vai mudar em nada, de qualquer forma se for para causar algum problema futuramente não vai fazer diferença se está utilizando como medicamento ou como suplemento.

  24. Antônia coelho disse:

    Fosfoetanolamina esta em debate sendo considerado por muitos como a cura do câncer.Segundo Gilberto Orivaldo cherice os estudos foram iniciado no começo do anos 90.Apontando resultados positivos na contenção e redução de tumores.Muitos usuários e familiares descreveram e descrevem melhoria significativa no combate a doença utilizando o medicamento,o mesmo não possui registro na Anvisa nega o tratamento ao individuo e como estivesse tirando a ultima esperança da cura para o câncer. Só que querem aprovar como suplemento isso e sem explicação e inaceitável.

  25. Camila Batista disse:

    Discordo da liberação como suplemento alimentar, mais concordo que deveriam ter estudos e se for comprovado a eficacia ser liberado como medicamento, por que a vida de muitos podem esta dependendo desse medicamento.

  26. Juliana de Sousa Silva disse:

    Quando se trata desse assunto , a famosa ” pilula do câncer ”me vem em mente um misto de sentimentos diferentes, interesses distintos , a questão em si se tornou um jogo de interesses ,onde cada um quer se beneficiar de alguma forma e percebo que a ”cura’ dessa doença não tem sido foco principal , e muito menos o bem estar dessas pessoas que sofrem com essa doença .São tantos os pontos de vista e opiniões, os médicos , farmacêuticos e pessoas da área da saúde totalmente contra por se tratar de algo desconhecido, inseguro e incerto .Não se sabe o que pode acontecer com estes pacientes usuários da pílulas a logo prazo, efeitos colaterais ..Do que adianta a cura de uma doença, e vir a óbito opor outras doenças que podem ter sido ocasionadas devido ao uso do ” medicamento” , se é que pode ser chamado assim ,tendo em vista que não tem nem estudo clínico e pesquisas , pulou algumas etapas da ” coisa’ .Por um lado esses profissionais indignados com tamanha irresponsabilidade , por outro lado políticos e suas artimanhas para benefício próprio e ”pagarem ” de bonzinhos .Por outro lado um pesquisador Dr. muito respeitado e renomado que trabalhou anos nesta pesquisa e garante sua eficácia , relatos com pessoas que já fizeram o tratamento e garantem a cura .De outro lado temos as grandes indústrias farmacêuticas, que não me parecem estar assim engajadas , afinal se comprovada a eficácia em determinados tipos da doença não seria muito rentável.Há menos de 6 meses quando toda essa questão da pilula veio a tona foram feitos alguns estudos pela ANVISA e foi divulgado na mídia baixa eficácia da pílula, e em menos de 3 meses após e aprovada para o uso .Que sentido faz isso , aprovação de algo que foi comprovado baixa eficácia ?É como eu disse anteriormente, jogo de interesses, como se fosse um bolo e cada um quisesse uma fatia . Por outro lado pessoas doentes , famílias desesperadas que já não aguentam mais ver o sofrimento dos entes que tem patologia .Pessoas que de repente já tentaram tudo , todos os tratamentos possíveis ,que estão desenganadas e já não tem mais nada a perder , e que a pílula tão milagrosa fosse a última e única esperança que restou .Situação preocupante , imoral e irresponsável, descaso total com as pessoas que sofrem com a doença .Toda a esperança dessa gente depositada nas mãos de predadores .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.