A importância da bolsa de valores e do Mercado de Capitais

Greice Guerra especial para o Jornal Opção


As bolsas de valores são instituições onde se negociam títulos e valores e possuem grande importância nas economias de mercados globais por permitirem a canalização rápida das poupanças para sua transformação em investimentos. As redes de bolsas de valores formam o denominado “Mercado de Capitais”, que é um segmento do setor financeiro constituídos por bancos de varejo, investimentos, sociedades corretoras, agentes econômicos e outras entidades que operam na compra e venda de ativos, tais como: ações, contratos à vista e futuros, negociações de moedas, commodities, renda fixa, fundos de investimentos e títulos de uma forma geral.

O Mercado de Capitais distingue-se do mercado monetário que movimenta recursos a curto prazo, embora ambos tenham muitas instituições em comum.

Assim sendo, o mercado de valores mobiliários e as bolsas de valores representam a robustez de uma economia, pois quanto mais forte e desenvolvida for a mesma, mais ativo é o seu Mercado de Capitais, o que se traduz em mais oportunidades para pessoas, empresas e instituições aplicarem seus recursos.

Além disso, a bolsa de valores acarreta crescimento econômico, pois o processo de compra e venda existente em seu ambiente propicia a atração de investimentos nacionais e internacionais, o que gera empregos, renda, arrecadação e desenvolvimento.

A bolsa de valores brasileira foi fundada em 1890 com o nome de “A Bolsa Livre”, sendo esta o embrião para meados de 1960, tornar-se a Bolsa de Valores de São Paulo, a BOVESPA. Em 2008, sua fusão com a Bolsa de Mercadorias e Futuros de São Paulo, resultou na BM&FBOVESPA, o novo nome da instituição, cuja agregação a tornou como uma das maiores do mundo naquela época.

Atualmente, a B3, Brasil, Bolsa, Balcão é a bolsa oficial do Brasil. A B3 surgiu em 2017, após fusão da BM&FBOVESPA com a CETIP (Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos), acontecimento que colocou a bolsa de valores brasileira na quinta posição em valor de mercado entre as bolsas mundiais.

A B3 é a única bolsa de valores, mercadorias e futuros em operação no Brasil e uma das maiores do mundo, sendo a maior depositária de títulos de renda fixa da América Latina e maior câmara de ativos do País. É uma sociedade de capital aberto e a companhia integra os índices IBOVESPA, IBrX-50, IBrX, ITAG, entre outros, o que demonstra seu alto nível de governança tão exigido e observado no Mercado de Capitais, pelos investidores, sobretudo os internacionais.

A B3 e o Mercado de Capitais são fiscalizados e regulados pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários), entidade pública e autárquica cujo objetivo é inspecionar o mercado de valores garantindo segurança, transparência e proteção ao mercado financeiro e seus agentes econômicos.

A bolsa de valores também possui outro papel fundamental que são os IPOS (Initial Public Offering), que é quando as empresas abrem o capital emitindo suas ações ao público e seus ativos são negociados através dela. Ao abrirem o capital, as mesmas angariam várias vantagens, pois encontram uma fonte permanente de captação de recursos financeiros, contam com uma opção de financiamento mais acessível que os empréstimos bancários, e ainda levam seus executivos a estarem mais atentos às suas gestões, uma vez que as mesmas tornam seus resultados públicos.

Além disso, tais empresas adquirem facilidades para fusões e aquisições com outras empresas, redução dos custos de capital e a oferta pública de suas ações, por sua própria natureza, é uma forma de publicidade perante ao mercado interno e externo, fato que aumenta a percepção de solidez por parte dos acionistas, clientes e analistas de mercado.

Todos estes pontos positivos da abertura de capital das empresas só ocorrem pela existência da bolsa de valores, o que só reforça a sua relevante participação na economia de um País, pois com a abertura do capital, milhares de empregos diretos e indiretos são gerados, os numerários financeiros são investidos e reinvestidos na economia, o que provoca o desenvolvimento econômico.

A B3, com seu ambiente seguro possui imprescindível contribuição para a alavancagem da economia brasileira, uma vez que esta permite a negociação dos ativos, o que estimula as megaempresas que nela estão listadas.

Mediante as explanações colocadas, observa-se que as bolsas de valores e o Mercado de Capitais são extremamente necessários para o desenvolvimento e crescimento econômico de qualquer País. Ambos são um “termômetro “das relações econômicas, são formadores de opiniões, refletem o mercado e contribuem para os investimentos na economia real.

A ausência ou debilidade dos mesmos dificulta a formação das poupanças, constituem um obstáculo ao desenvolvimento, e obrigam os países que sofrem tal deficiência, a recorrerem aos Mercados de Capitais internacionais sediados em potências centrais.

Vale elucidar que sem as bolsas de valores e o Mercado de Capitais, as economias estariam sujeitas a um severo retrocesso econômico, onde as mesmas voltariam aos tempos dos escambos e feudos.

O capitalismo, quando bem aplicado, gera riquezas e desenvolvimento.

Greice Guerra é economista.

Uma resposta para “A importância da bolsa de valores e do Mercado de Capitais”

  1. Artigo didático e bem escrito, como convém à filha de Poeta. Saudações , Greice.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.