Frederico Vitor
Frederico Vitor

Visando fortalecimento em 2016, PSDB deve renovar diretório municipal

Valto Elias: Partido precisa renovar; Alexandre Baldy: Nome forte tucano | Fotos: Fernando Leite/Jornal Opção

Valto Elias: Partido precisa renovar; Alexandre Baldy: Nome forte tucano | Fotos: Fernando Leite

O partido do governador Mar­coni Perillo (PSDB) nunca conseguiu ter um projeto político municipal vitorioso em Anápolis. A cidade que, em todos os pleitos estaduais, tem dado votação expressiva ao líder tucano, contraditoriamente ainda não teve nenhuma experiência no Executivo do município. Com o objetivo de fazer a primeira gestão tucana na prefeitura, o PSDB vai renovar o diretório local com a finalidade de trazer novos quadros e diretrizes políticas, para que a sigla chegue em 2016 em condição de protagonista.

Atualmente, o PSDB conta com dois vereadores dos 23 que elencam o Legislativo municipal: Fernando Cunha, que se licenciou para assumir a Superintendência Executiva do Produzir e Miriam Garcia. Ao contrário de outras legendas que já começaram a traçar metas de quantos vereadores precisam eleger, os tucanos não dizem em números, porém não escondem o desejo de avançar sobre mais vagas na Câmara Municipal.

Em março, o partido fará sua primeira reunião de 2015 para definir a nova diretoria. Segundo o presidente municipal do PSDB, Valto Elias, o foco da sigla no momento é a renovação da direção partidária. Por­tanto, até setembro, as filiações de novos quadros e lideranças será a ação prioritária tendo em vista a formação de chapas ao próximo pleito. “Estamos filiando várias lideranças e vamos filiar mais. Algumas conversas estão em cursos, mas vamos priorizar no momento o fortalecimento da sigla”, afirma.

Até agora, o PSDB anapolino tem conversado com lideranças do PPS, PV, PSDC e PSL. A primeira le­genda, comandada por André Al­meida, um militante histórico do par­tido com matiz socialista e presidido nacionalmente por Roberto Freire, estaria praticamente fechada para caminhar ao lado dos tucanos em 2016. Segundo Valto Elias, o momento é de fazer política de boa relação, ou seja, conversar com o maior número possível de partidos para a formação de uma chapa ampla no ano que vem. “São várias legendas que estão na órbita com possibilidade de acertos, apesar de ainda estar cedo, pois nem mesmo formatamos um novo diretório do PSDB.”

Governo tucano

Não é segredo que o governador Marconi tem como missão em 2016 fazer prefeitos em Goiânia, Apare­cida de Goiânia e Anápolis. Justa­mente os três maiores municípios goianos que, atualmente, são administrados pelo PT e pelo PMDB — dois dos principais adversários políticos do Palácio das Esmeraldas. Para e­quilibrar este cenário, Anápolis deverá ser uma questão de honra aos tucanos. Segundo Valto Elias, o partido reconhece a fragilidade de nun­ca ter ocupado uma administração na prefeitura, contudo, um projeto local é visto como possível e viável, na medida em que a legenda abra diálogo com a sociedade e ve­nha agregar novas lideranças e quadros.

O primeiro passo foi dado com a eleição de um deputado federal anapolino pelo PSDB — Alexandre Baldy.  Além disso, outro grande passo para coesão e fortalecimento do partido foi a vinda do casal Adhemar e Onaide Santillo. “Politicamente foi uma grande aquisição já que a experiência, e a estampa política, explicam o quantitativo eleitoral no qual eles representam”, ressalta Valto Elias. Outro quadro relevante apontado pela presidente municipal é o pastor e superintendente de Indústria e Comércio do Estado, Vitor Hugo de Queiroz. “Temos quadros e um cenário novo para o partido, portanto teremos candidatura própria para 2016.”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.