Marcos Nunes Carreiro

Três nomes pairam sobre a SIC, mas desta semana a definição não passa

Governador Marconi Perillo: o titular da SIC será de Anápolis, mas ainda não se sabe quem. Cogita-se, porém, o cônsul honorário da Alemanha em Goiás | Fotos: Fernando leite/Jornal Opção

Governador Marconi Perillo: o titular da SIC será de Anápolis, mas ainda não se sabe quem. Cogita-se, porém, o cônsul honorário da Alemanha em Goiás | Fotos: Fernando leite/Jornal Opção

É certo que o governador Marconi Perillo estava esperando pela definição de Antônio Gomide em renunciar à prefeitura de Anápolis ou não para anunciar quem será o novo titular da Secretaria de Indústria e Comércio (SIC). A renúncia aconteceu na sexta-feira, 4, e agora as sondagens deverão acabar.

São três os nomes que pairam nas bocas daqueles que têm informações sobre a situação. O primeiro é do presidente do Sindicato das Indústrias Farma­cêuticas no Estado de Goiás (Sin­difargo), Marçal Henrique Soares. Seu nome começou como favorito e quase desapareceu das conversações, mas voltou a ser comentado nos últimos dias. Tem chances.

O segundo é do ex-deputado Frederico Jayme Filho. Ele recebeu ligações por parte de pessoas ligadas ao primeiro escalão do governo e está de stand-by. Ele é o nome político para assumir a pasta nesse momento pré-eleitoral, pois, além de ser empresário, anapolino e entender bem esses trâmites, é do PMDB. Uma característica valiosa na visão de Marconi.

O terceiro nome é William O’Dwyer, dono da Anadiesel (concessionária Mercedes-Benz) e cônsul honorário da Alemanha em Goiás. Ele é o favorito dos empresários. É o nome que o governador usará para agradar a classe industrial de Anápolis, além de colocar à frente da pasta um nome preparado. Bill, como ficou conhecido, é apontado como o melhor técnico entre os três nomes cogitados. Ele também foi sondado por pessoas próximas ao governador, inclusive do diretor do Porto Seco, Edson Tavares. Bill também recebe favorecimentos pela boa ligação entre seu pai, Waldyr O’Dwyer –– mais conhecido como capitão Waldyr –– e a Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), da qual foi presidente.

O atual presidente da Fieg, Pedro Alves, inclusive diz que o nome de Bill é o mais ligado à indústria, além de ser um importante contato comercial. “Essa escolha é uma prerrogativa exclusiva do governador. Porém, a Federação entende que o nome do Bill seria uma dupla homenagem: a Anápolis e também ao seu pai, capitão Waldyr, que trabalhou muito pela indústria em Goiás. É um nome preparado, assim como os outros dois. E a Federação dará apoio total a qualquer dos nomes que seja escolhido pelo governador”.

O neotucano e presidente da Fieg, regional de Anápolis, Wilson de Oliveira, raciocina da mesma maneira: “Conhecemos todos os nomes ventilados para assumir a secretaria, mas fala do governador de que escolherá um nome de Anápolis nos leva ao nome do Bill, pois ele é da cidade. É um empresário anapolino. Um bom técnico e que também tem suas qualificações políticas”, aponta ele.

Até o momento, o governador tem apenas observado a movimentação de seus possíveis adversários no pleito de outubro. No caso de Anápolis (Gomide), tem também direcionados comentários, sobretudo pelo Twitter. De qualquer forma, para usar a escolha da SIC eleitoralmente, Marconi não pode esperar mais. Tem que ser esta semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.