Avatar
Frederico Vitor

Sem arestas entre PT, PSDB, PP e PSD

Lideranças de várias siglas apertam as mãos em convergência: por enquanto, a paz reina no cenário político anapolino

Lideranças de várias siglas apertam as mãos em convergência: por enquanto, a paz reina no cenário político anapolino

Uma imagem vale mais do que mil palavras. A foto que ilustra esta nota demonstra bem como anda o clima na cena política anapolina. Tecnicamente adversários, pelo menos no âmbito nacional e regional, o PT e PSDB — mais o PP e PSD — raras vezes dividiram o mesmo projeto político. Cada legenda sempre ocupou lados opostos da trincheira. Mas em Anápolis a coisa é bem diferente. Não há arestas a serem aparadas entre as lideranças destes partidos e o panorama aponta para uma convergência de siglas que, ao olhar do eleitor mais atento, em épocas passadas estavam em direções contrárias.

Na semana passada, o prefeito João Gomes (PT) recebeu em seu gabinete na prefeitura, em reuniões distintas, o vice-governador José Eliton (PP) e o secretário estadual do Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infra­es­trutura, Cidades e Assuntos Me­tropolitanos, Vilmar Rocha (PSD). Ambos os encontros, de caráter administrativo, não deixaram de revelar uma aproximação amistosa entre o Executivo estadual e a prefeitura.

Esta relação republicana já não é novidade. Porém ela se intensificou nos últimos dias e sinaliza que lá na frente, quando as conversações em relação ao processo eleitoral de 2016 se afunilarem, não haveria nenhum problema as lideranças do PP e PSD dialogarem com o PT de João Gomes para chegarem a um acordo no que refere à composição de uma ampla aliança.

O PP já faz parte do governo de João Gomes e o PSD anapolino integra o grupo denominado G4, liderado pelo PHS de Elismar Veiga e complementado pelo PPS e PEN. Já com o PSDB a coisa já estaria mais adiantada. O vereador tucano licenciado e superintendente do Produzir, Fernan­do Cunha Neto, é cotado para ser o vice do prefeito João Gomes na eleição do ano que vem. Não seria a primeira vez em que petistas e tucanos marchariam juntos em Anápolis. Em 2004, por exemplo, o deputado Rubens Otoni (PT) foi candidato tendo como vice o vereador tucano José Vieira, articulado pelo governador Marconi Perillo (PSDB) e por Fernando Cunha Júnior.

Seja qual foi o teor da conversa entre o prefeito João Gomes, o vice-governador José Eliton, o presidente da Associação Comercial e Industrial de Anápolis, Luiz Me­deiros, o presidente da Goiás Industrial, Júlio Vaz, o presidente do diretório municipal do PSD, Thiago Souza, Fernando Cunha Neto e o presidente estadual do PT, Ceser Donizete, não há dúvidas que o bate-papo agradou a gregos e troianos. Ainda é cedo para dizer que estes partidos estarão na escalação do projeto de reeleição de João Gomes. Mas para formar uma ampla frente partidária, aparentemente, não haveria empecilhos.

Uma resposta para “Sem arestas entre PT, PSDB, PP e PSD”

  1. Avatar Pablo Cunha disse:

    Falsa a informação que em 2004, o Governador Marconi e o Secretario Fernando Cunha articularam a candidatura de Rubens Otoni e José Vieira, na ocasião só não foi pedida a intervenção do partido no município, porque o mesmo, já vinha de uma intervenção na eleição anterior, na ocasião 90% dos quadros do PSDB e todos ligados ao Governo apoiaram o então Prefeito Pedro Sahium e o Vice Atair PIo. Pablo Cunha Presidente do PSDB Jovem na época.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.