Thiago Araújo
Thiago Araújo

Investimento de R$ 20 milhões vai gerar mais de 2 mil empregos

William O’Dwyer, José Eliton e Sâmia ZakZak na assinatura do protocolo: expansão da Roots Alimentos (Foto: Paulo Giovanni)

William O’Dwyer, José Eliton e Sâmia ZakZak na assinatura do protocolo: expansão da Roots Alimentos (Foto: Paulo Giovanni)

A empresa goiana de salgadinhos industrializados Roots Alimentos assinou na sexta-feira, 21, um protocolo de intenções com o governo do Estado, que prevê a prorrogação dos incentivos fiscais do Produzir até 2040 e a concessão de área de 20 mil metros quadrados para construção de sua unidade fabril em Anápolis.

Em contrapartida, a empresa vai investir R$ 20 milhões na economia local e gerar 2.140 empregos diretos e indiretos, com a sua entrada em operação, a partir de 2016.

A empresária à frente do projeto, Sâmia ZakZak, diz que a Roots Alimentos está em operação desde agosto de 2013 em Anápolis, com a produção de batata ondulada chips e a batata palha batz. A empresa, segundo ela, distribui seus produtos para sete Estados da Região Norte e Centro-Oeste do País. O principal mercado, porém, está no eixo Goiânia-Anápolis-Brasília “Com o apoio da política de fomento do Estado, queremos ampliar nosso mercado de atuação e nosso portfólio.”

Sâmia destaca o papel dos incentivos fiscais do Estado como garantidor de competitividade para as empresas. “Queremos expandir nossa produção e nosso mercado pelo País. O Produzir é um programa que dá condição das empresas que se instalam em Goiás de enfrentarem seus concorrentes e continuar crescendo. Nossas perspectivas de mercado futuro são as melhores”, ressalta.

Pelas regras do Produzir, as empresas têm 73% do Imposto sobre Circulação de Merca­dorias e Serviços (ICMS) financiado pelo Estado até 2040. Se instaladas no Norte ou Oeste Goiano, o financiamento sobe para 98%. “O Produzir é uma das principais ferramentas de desenvolvimento do Estado. Conseguimos viabilizar a im­plantação, expansão ou revitalização das nossas indústrias, estimulando a geração de emprego e o crescimento da economia”, diz o secretário de Indús­tria e Comércio, William O’Dwyer.

Conforme previstos pelo protocolo de intenções, a empresa vai se instalar numa área de 20 mil metros quadrados na expansão do Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia). O processo de desapropriação de 50 alqueires pelo Estado já está em andamento. A primeira etapa, quando serão liberados 13,75 alqueires, já está em cartório para a elaboração da escritura.
Durante a assinatura do protocolo, o governador em exercício, José Eliton, comentou o momento econômico do Estado. Segundo ele, Goiás mudou seu perfil econômico ao longo da última década, com a nova política do governo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.