Avatar
Frederico Vitor

Indústria puxa saldo positivo de empregos em março

Foram criados 667 novos postos de trabalho no município de Anápolis no mês de março, conforme registra o Caged

Foram criados 667 novos postos de trabalho no município de Anápolis no mês de março, conforme registra o Caged

Considerada o polo industrial do Centro-Oeste, Anápolis apresentou números animadores na geração de empregos formais em março. Segundo o Ministério do Trabalho foi registrado saldo positivo de 667 novos postos de trabalho pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). A cidade ficou com a terceira colocação no ranking goiano que inclui a capital.

Os segmentos que mais contrataram em março foram a indústria de transformação e os setores de serviços, comércio e agro­pecuá­ria. Parte do bom resultado se deve à política desenvolvida no município para qualificação de mão de obra. O programa Qualificar criado pela prefeitura oferece diversos cursos nas diferentes áreas, observando sempre as necessidades da população e a demanda da sociedade.

O programa visa não só a inserção no mercado de trabalho, mas a permanência promovendo sua constante qualificação profissional. Desde a sua criação, em 2009, cerca de 20 mil pessoas foram capacitadas por meio de parceria com escolas de educação profissional, reforçada com a criação dos Centros de Formação Profissional (Cenfor) no Filostro Machado, no Setor Industrial Munir Calixto e Recanto do Sol/Parque Residencial das Flores.

Outro fator preponderante para os resultados na geração de emprego e renda são os investimentos em aparelhamento público. As iniciativas refletem na atração de mais empresas para Anápolis e mesmo na ampliação das já instaladas. O benefício do crédito ao micro e pequeno empresário, política adotada pelo município, por meio do programa Anápolis aCredita, também influencia diretamente a geração de postos de emprego formal.

Caged

O Cadastro Geral de Empre­gados e Desempregados (Caged) foi criado pelo governo federal por meio da Lei nº 4.923/65, que instituiu o registro permanente de admissões e dispensa de empregados, sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Este Cadastro Geral serve como base para a elaboração de estudos, pesquisas, projetos e programas ligados ao mercado de trabalho, ao mesmo tempo em que subsidia a tomada de decisões para ações governamentais.

É utilizado, ainda, pelo Programa de Seguro-Desemprego, para conferir os dados referentes aos vínculos trabalhistas, além de outros programas sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.