Frederico Vitor
Frederico Vitor

Ernani de Paula diz que é pré-candidato a prefeito com projeto consistente para a cidade

Ernani de Paula ressurge na cena política anapolina à frente do nanico PSDC

Ernani de Paula ressurge na cena política anapolina à frente do nanico PSDC

Agora é definitivo. O ex-prefeito de Anápolis, Ernani de Paula, deixou o Pros e anunciou que é pré-candidato ao Executivo municipal pelo PSDC. Além da postulação à prefeitura, o empresário também é o novo presidente da legenda e promete formar chapa forte tanto na proporcional quanto para a majoritária.

O convite para desembarcar na sigla social-cristã e liderá-la em Anápolis veio do presidente estadual do partido, o empresário goianiense Alexandre Magalhães. Ernani de Paula reconhece que sua missão não será fácil, ou seja, formar uma frente política tendo como base uma legenda pequena, principalmente se comparado aos “players” do quilate do PT do prefeito João Gomes, e o PSDB do vereador e pré-candidato a prefeito Fernando Cunha Neto.

Apesar da circunstância desfavorável, Ernani de Paula afirma que o PSDC é uma legenda organizada. Segundo ele, a casa ajustada facilitará o trabalho de construção do zero, de uma nova força política em Anápolis. “Vamos passar uma borracha naquilo que houve no passado e criar um novo grupo político, sem a dependência dos interesses de terceiros”, diz.

O ex-prefeito afirma que antes de assumir a presidência municipal do PSDC e anunciar sua pré-candidatura a prefeito, chegou a conversar com demais lideranças. Segundo ele, a pauta das conversas sempre restringiu à formação de aliança para o pleito deste ano. Ernani de Paula revela que dialogou com o deputado federal Alexandre Baldy (PSDB), com o deputado estadual Carlos Antonio (SD) e com lideranças do PRB, PR e PEN. “Esses partidos estão procurando suas bases e seus quadros para lançarem candidaturas proporcionais com o objetivo de eleger o maior número possível de vereadores. Este é um processo natural da democracia”, afirma.

O ex-prefeito visitou o Jornal Opção e concedeu uma entrevista. O pré-candidato discorreu sobre seus planos e projetos para Anápolis e não poupou críticas ao cenário político da cidade, sem fugir de pontos polêmicos acerca de sua controversa carreira na vida pública:

Como o sr. observa a atual gestão e o que pretende implementar caso seja eleito?
Anápolis precisa de gestão, de um projeto estruturado a longo prazo e com metas.

Atualmente passamos por um momento de crise. As prefeituras estão com pires na mão e sem recursos. Qual será o maior desafio para o próximo prefeito de uma cidade como Anápolis?
Primeiro é um planejamento bem feito e colocado em debate com a sociedade. Além disso, uma economia em escala dos órgãos administrativos. A gestão atual, por exemplo, não sabe quantos imóveis estão alugados pela prefeitura. Anápolis arrecada bem atualmente. No meu tempo, o orçamento era de R$ 96 milhões por ano, hoje são R$ 96 milhões por mês. Eu municipalizei a saúde, e a cidade recebe R$ 80 milhões por ano vindo do governo federal, graças a minha ação. Por que a saúde não funciona? Falta gestão. A máquina pública municipal está inchada. Há três coisas fundamentais na cidade: água, água e água. Eu municipalizei a água em 2003. Não fui adiante porque houve o problema da intervenção estadual, que foi em função da água. Fui vítima daquela palhaçada na Câmara, aquilo foi um circo. Fui absolvido pelo Tribunal de Justiça sobre o caso das aposentadorias. Na verdade fui vítima de um complô político que não admitia alguém novo fazendo uma administração inovadora e eficiente. Temos que acabar com o caciquismo em Anápolis, destes grupos que ainda querem dominar a política local.

O sr. preside um partido pequeno. Como fará para montar uma estrutura e agregar aliados?
Nós precisamos unir pessoas com novas ideias para Anápolis e o partido vai ajudar nisso. Temos que juntar uma coleção de ideia e novas propostas, sem criar feudos. Vamos romper com a polaridade entre PT e PSDB. Ninguém aguenta mais. Venho para isso, para mostrar um projeto consistente para a cidade, e tenho certeza que vou ter bastante sucesso porque conheço a cidade, não sou mais um neófito, como outros pré-candidatos. Tenho projeto para saúde, educação e principalmente segurança. Não podemos ser como Goiânia, uma das cidades mais violentas do Brasil. É preciso também fazer alguma coisa na questão da água, que é o ponto fraco de Anápolis.

O que mudou do Ernani de Paula da época em que foi prefeito para hoje?
Muita coisa mudou. Hoje estou mais consciente, pés no chão e humilde. Estou ouvindo mais os amigos e a população. Sei e entendo os problemas de Anápolis. O que precisamos, e que não existe atualmente, é uma oposição responsável. Temos 23 vereadores e nenhum deles é oposição.

A Câmara Municipal está cooptada pela atual gestão?

Sim, porém com raras exceções. A partir de agora com esta crise nacional do PT, muitos vão debandar porque sabem que não vão se reeleger. Agora é a hora de ver quem é quem. A cidade precisa de serviços: saúde, água e segurança. O restante pode esperar um pouco para que seja possível fazer um caixa melhor.

Caso o sr. seja eleito prefeito de Anápolis mais uma vez, como ficaria sua relação com o governador Marconi Perillo (PSDB)?
Normal. A intervenção é uma página virada. Não dou esta entrevista para provocação, mas para registro histórico. Já estive com o governador e ele esteve na minha fazenda em 2008, pedindo apoio ao Ridoval Chiareloto, e eu o apoiei. Agora recentemente ele me chamou ao Palácio das Esmeraldas para uma conversa que foi muito cordial, diga-se de passagem. Tudo que passou foi superado. Não existem mágoa e rancor. Ninguém governa olhando o retrovisor.

1
Deixe um comentário

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
R.B.

O povo de Anapolis precisa, mesmo perdoar o Ernani pelos crimes que levaram a intervenção e seu afastamento da prefeitura em seu primeiro mandato.
O povo de Anapolis precisa dar uma nova oportunidade a ele, pois assim como a grande maioria dos ex-criminosos, é um homem mudado, maduro e com certeza governará esta cidade com honestidade.