Marcos Nunes Carreiro
Marcos Nunes Carreiro

Alemães estão “de olho” nos modais logísticos anapolinos

Porto Seco de Anápolis: auxílio alemão será importante para modais logísticos | Foto: Fernando leite/Jornal Opção

Porto Seco de Anápolis: auxílio alemão será importante para modais logísticos | Foto: Fernando leite/Jornal Opção

Na última semana, representantes de Goiás e da Alemanha se en­contraram na Embaixada Germâ­ni­ca em Brasília. Entre os presentes estava o presidente do Senado alemão, Stephan Weil, além de vários integrantes de instituições goianas, como o coordenador técnico da Fieg, Wellington da Silva, e representantes da Confe­deração Nacio­nal da Indústria (CNI), da Associa­ção Comercial, Industrial e de Ser­vi­ços de Goiás (Acieg), entre ou­tros. O objetivo da reunião com os alemães foi analisar as perspectivas da economia goiana para 2014 e verificar quais as possíveis parcerias comerciais com a Alemanha. Con­tudo, cada instituição se encontrou com integrantes ligados diretamente com seus setores de interesse.

E um dos principais encontros ocorreu entre o diretor do Porto Seco de Anápolis, Edson Tavares, e o diretor da DEWI GmbH, o Instituto Alemão de Energia Eólica, Jens Peter. Tavares julgou ser muito importante a reunião entre eles, uma vez que os alemães são dos melhores do mundo, assim como os norte-americanos, quando o assunto é logística. Segundo ele, os alemães avaliaram a operação do porto seco assim como o andamento do aeroporto de cargas.

“A comitiva alemã se interessou bastante na operação do aeroporto de cargas, assim como naquilo que fazemos no Porto Seco de Anápolis. Nossa intenção foi mostrar a eles o interesse de Goiás em trazer parceiros para ajudar na operação dos nossos modais logísiticos, envolvendo tanto as rodovias como o aeroporto, mas também as ferrovias”, diz ele, fazendo menção à Ferrovia Norte-Sul, que — segundo os governistas de Dilma Rousseff — deve ter o trecho goiano finalizado ainda este ano.

“Os alemães gostaram daquilo que viram, principalmente em se tratando do modal ferroviário. Ficou, inclusive, combinado que eles deverão voltar em breve para apresentar um projeto de operação da ferrovia, o que seria bom, pois eles têm tecnologia para fazer essa execução”, avalia Tavares.

Energia eólica como fonte de abastecimento

A energia eólica é, sem dúvidas, uma das alternativas mais estudadas para baratear a produção de energia, além de criar um método mais limpo de manter ativa a economia do país. Seguindo essa linha de pensamento, Edson Tavares ressalta que já há estudos no Porto Seco de Anápolis visando a instalar essa tecnologia e que os alemães serão de grande auxílio nessa parte. “Eles ficaram de fazer um estudo para estudar a implantação de energia eólica aqui, pois têm grande capacidade tecnológica nessa área. Inclusive deveremos contratar uma empresa alemã para concluir os estudos”, informa o diretor.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.