Paulinho Graus diz que será candidato a prefeito de Goiânia e que Iris deve abrir espaço à renovação

O vereador do PDT afirma que as ruas estão sujas, não há vagas nos CMEIs e a saúde está na UTI

Ninguém conhece Paulo César de Sousa, de 48 anos. Mas quem não conhece Paulinho Graus, o vereador? Ele é popularíssimo em vários bairros de Goiânia. Filiado ao PDT, o político pretende disputar a Prefeitura de Goiás em 2020.

“O PDT é um partido gigante em termos nacionais, tem uma deputada federal em Goiás e vários vereadores. Além do que, fundado por Leonel Brizola, tem uma história respeitável. Portanto, nada mais justo do que pleitear a Prefeitura de Goiânia. Meu nome está colocado, e estou disposto a ser candidato. O presidente do partido, Carlos Lupi, recomendou que sejam lançados candidatos a prefeito ao menos nas cidades com mais de 200 mil eleitores — nas quais há segundo turno. Goiânia tem quase 1 milhão de eleitores”, afirma Paulinho Graus.

Na segunda-feira, 18, será realizada a convenção nacional do PDT. “Carlos Lupi insiste que o partido precisa se fortalecer nos municípios, criando uma base eleitoral para a eleições de 2022 [quando serão eleitos presidente da República, governadores, senadores, deputados estaduais e federais). Ele tem afirmado que, em Goiânia, o postulante deve ser um político com bases e raízes locais. Quer dizer, está falando de mim, que sou vereador eleito e reeleito na capital. Nós precisamos criar uma estrutura para eleger Ciro Gomes a presidente em 2022.”

Ciente do fim das coligações proporcionais, Paulinho Graus afirma que a montagem de uma chapa forte de candidatos a vereador praticamente exige que o PDT tenha um candidato a prefeito — “um puxador de votos”.  “Nós queremos eleger pelo menos cinco vereadores e, para tanto, estamos organizando núcleos de base em vários bairros de Goiânia. Teremos núcleos de mulheres, de trabalhadores, de negros.”

O PDT, depois de um momento de divergências entre os grupos de deputada federal Flávia Morais e de Paulinho Graus, “está unido”, afirma o vereador.

O PDT está apoiando o governo de Ronaldo Caiado. “Nós estamos conversando. Flávia Morais tem uma regional da Educação e mais alguns cargos. Mas, de fato, o PDT quer mais cargos no governo, mas não fazemos pressões.”

Quanto a Iris Rezende: o que o prefeito realmente quer? “A gente não entende bem o que Iris quer. Sabe-se que ama a cidade e quer contribuir para seu desenvolvimento. Mas é o momento de dar oportunidade para outros políticos, de abrir espaço para a renovação. Se candidato, devido à sua história e ao peso da máquina, certamente irá para o segundo turno, mas dificilmente será reeleito. Insisto: é hora de mudança, de renovação. Iris precisa ficar de olho no recado da última eleição.”

Paulinho Graus afirma que, apesar da “boa vontade de Iris, a cidade está suja, faltam vagas nos CMEIs, não se consegue fazer cirurgias, não há obras significativas e relevantes. A saúde está na UTI e Iris não parece atento ao que está acontecendo”. 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.