Maks Louzada e Rafael Pareja são forças novas em Cristalina. Prefeito conta com peso da máquina

Daniel do Sindicato faz gestão insossa e terceirizada. Mas conta com apoio de produtores rurais e com a força da prefeitura

O prefeito de Cristalina, Daniel do Sindicato (PSB), pode não ser o pior do Entorno do Distrito Federal. Mas certamente está entre os piores. Aliados dizem que é bem-intencionado e decente, mas tem dificuldade para gerir a máquina pública. “Daniel é íntegro e tem boa vontade. Mas cometeu um erro grave ao ‘terceirizar’ o comando da prefeitura para o fazendeiro Vitor Simão”, afirma um vereador. Um aliado do ex-prefeito Luiz Carlos Attié diz que “o município é rico, mas a prefeitura é pobre. Quinze produtores dominam e a sonegação é grande na região. Além do mais, Cristalina deixou de ser campeã em empregos, porque, mecanizado, o campo precisa de poucos trabalhadores”.

Ante a crise da gestão de Daniel do Sindicato — que os adversários chamam de “Daniel do Abandono”, porque teria deixando a cidade ao deus-dará —, há vários políticos colocando seu nome para a disputa de 2020. “Bobo de quem pensar que Daniel do Sindicato é fraco. Ele tem desgaste, é certo. Mas conta com a máquina da prefeitura e com o apoio dos produtores rurais, quer dizer, tem apoio nos setores público e privado”, afirma um vereador. “O fato de ser forte, devido à estrutura financeira e política, não significa que é imbatível”, afirma o aliado de Attié.

O paranaense Maks Wilson Louzada, do PSD, disputou a eleição em 2016 e perdeu para Daniel do Sindicato. Aos 37 anos, apresentando-se como símbolo da renovação, Maks pode ser candidato pela segunda vez — contando, agora, com o desgaste do prefeito.

O delegado da Polícia Civil Rafael Pareja, do PSL, obteve 5 mil votos no município para deputado estadual, mais de 11 mil no total — uma votação expressiva para um marinheiro de primeira viagem — e deve ser bancado pelo deputado federal Delegado Waldir Soares, do PSL. É apontado como o político que pode surpreender o “acomodado” Daniel do Sindicato.

Luiz Carlos Attié disse a aliados que não será candidato, que está fazendo um curso de gestão, mas costuma pedir informações detalhadas sobre o quadro político de Cristalina e estaria inclusive pesquisando a popularidades dos principais candidatos. “A gestão pouco criativa de Daniel do Sindicato resgatou, de certa maneira, Attié, que não era lá grande coisa, mas, em comparação com o atual prefeito, fica até melhorzinho”, postula um vereador.

Se o deputado Delegado Waldir Soares apoiar Rafael Pareja, de maneira decidida, o delegado tem chance de se eleger. Como Cristalina está muito perto de Brasília, o Delegado Waldir pode, inclusive, levar o presidente Jair Bolsonaro, ao menos uma vez, na campanha do delegado, que é “querido” na cidade. Ressalte-se que a máquina pesa muito nas eleições de Cristalina — daí quem considerar Daniel do Sindicato como “galinha morta” pode dar com os burros n’água, como apreciam dizer os fazendeiros da região. 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.