Lincoln Tejota desiste do Podemos e pode se filiar ao PMN ou ao PV

Democracia Cristã e Avante também estão de olho no passe do vice-governador, que é um político articulado

O vice-governador de Goiás, Lincoln Tejota, está numa situação complicada. O Pros de Eurípedes Júnior não o quer nem pintado de santo. Se ele não sair rápido, pode até ser expulso. Ele estava de malas prontas para se filiar ao Podemos, mas acabou por gerar outra crise.

Para se filiar ao Podemos, Lincoln Tejota teria exigido a presidência em Goiás. Não houve acordo. Porque, no processo de fusão do PHS com o Podemos, a cúpula nacional havia decidido que o presidente no Estado seria o deputado federal José Nelto, líder do partido na Câmara dos Deputados. O vice-presidente nacional do Podemos, Eduardo Machado, diz que José Nelto já estava no partido, é muito respeitado em Brasília, e não havia como retirá-lo do comando regional.

Um aliado de Lincoln Tejota afirma que ele está em busca de outro partido, que tanto pode ser o PMN quanto o Partido Verde. Como o presidente do PV, Eduardo Zaratz mudou-se para Brasília, para ser secretário do governo de Ibaneis Rocha, o partido praticamente está sem comando em Goiás — daí a possibilidade de o vice-governador assumir sua direção. O único “problema” é que o ex-deputado não sabe diferenciar um angico de uma aroeira, mas, no PV, a maioria entende de política e muito pouco de meio ambiente.

O Avante e a Democracia Cristã (DC) também estão de olho no passe de Lincoln Tejota, que é um político com grande capacidade de articulação e, claro, é o vice-governador. A pretensão dele é disputar o governo em 2022 — Ronaldo Caiado tem afirmado que não irá à reeleição — ou em 2026.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.