Para Magda Mofatto, áudios de Temer são “inconclusivos”

Deputada federal defendeu posição de seu partido, o PR, de permanecer na base aliada pelo menos até que haja informações mais concretas

A deputada federal Magda Mofatto (PR) defendeu, nesta sexta-feira (19/5), a posição de seu partido de não deixar a base do presidente Michel Temer (PMDB). Para ela, qualquer reação neste momento é “precipitada” e, por isso, o PR é prudente ao aguardar mais informações antes de tomar alguma decisão concreta.

“A minha colocação pessoal é de aguardo. Não é de ficar em cima do muro, mas eu não gosto de fazer absolutamente nada precipitado”, declarou ela. Para Magda, no entanto, o afastamento de Temer pode representar problemas para o Brasil: “Não posso falar que está havendo conspiração, porém, eu vejo como uma coisa muito ruim para o país, é só ver o que aconteceu com o mercado”.

Sobre os áudios, Magda considerou que eles são inconclusivos. “Não estou defendendo nada nem ninguém, mas se eu estivesse sendo populista, eu tomaria posição como alguns deputados estão tomando, indo pelo lado do que o povo está falando, mas não é assim”, disse ela.

Magda ressaltou, por exemplo, que convocar eleições diretas, neste momento, seria “rasgar a Constituição”. “A tramitação para uma situação dessas é complicada, tem que primeiro tramitar pelo Congresso. Emoções precipitadas no calor do momento nem sempre são as melhores”, criticou.

Questionada ainda sobre como serão os trabalhos da Câmara nos próximos dias, ela disse “está todo mundo na expectativa”. Segundo a deputada, deve haver sessão na próxima terça-feira (23/5), quando serão discutidos os próximos passos na casa. Votação de reformas, no entanto, devem ficar para depois: “Qualquer discussão sobre elas fica em segundo plano agora”, finalizou.

Deixe um comentário

wpDiscuz