“Há provas cabais da relação entre consumo de carboidrato e o câncer”, diz especialista

Oncologista Antônio Carlos Buzaid explica como a dieta é tão importante quanto a quimioterapia no tratamento da doença

Médicos Antônio Carlos Buzaid e Drauzio Varella durante bate-papo | Foto: reprodução

Durante bate-papo com o famoso médico Drauzio Varella, o oncologista e chefe-geral do Hospital São José, em São Paulo, Antônio Carlos Buzaid, destacou a relação direta entre a dieta e a aparição de cânceres. Segundo ele, 30% dos tumores estão relacionados ao que as pessoas comem.

“Evidências vêm de estudos migratórios e observacionais. Claramente, as pessoas que comem comidas mais saudáveis, como os vegetarianos, têm menos câncer que os não vegetarianos por exemplo”, opinou.

Buzaid lembra que, no começo do século passado, os japoneses — que têm baixíssimos índices de câncer — migraram para o Havaí (EUA) e, ao absorverem os costumes dos ocidentais, demonstraram uma elevação marcada da incidência da doença. “A primeira geração de japoneses pós-migração elevou incrivelmente o risco de câncer. A segunda, o de cólon foi até maior que os americanos caucasianos locais”, relatou.

Questionado por Drauzio Varella se há realmente comprovações de que uma mudança na dieta influencia na prevenção e pode impedir o surgimento de novos tumores, o oncologista é categórico: “A maior parte dos médicos não está preparada para responder essa pergunta como deveria, pois o impacto da modificação dos hábitos é muito grande, igual ou mais do que uma quimioterapia.”

“Vários estudos sugerem que um aumento da ingesta de frutas e verduras, diminuição da quantidade de gordura, perda de peso, é benéfico para reduzir risco do câncer voltar. Uma intervenção dietética reduz ainda mais o risco”, garante.

O principal inimigo de uma dieta “anti-câncer” é, segundo o especialista, o carboidrato. Durante o bate-papo, ele reforça que quanto maior a ingestão de cereais, pães e massas, mais risco se tem de desenvolver a doença.

“Ensino aos doentes e até aos meus filhos que carboidrato é um veneno gostoso. Por que é veneno? A hipótese que se avalia de forma prospectiva e formal é que quando se come um carboidrato, sobe a insulina, e essa insulina é pró-câncer. Se houver células microscópicas dormentes, a insulina pode fazê-las acordar. Há evidências que excesso de insulina é um fator detrimental no surgimento de tumores”, garantiu.

Carne faz mal?

Antônio Carlos Buzaid comentou, também, a influência do consumo de carne vermelha e o surgimento de tumores. De acordo com ele, há evidências epidemiológicas, por observação, que existe uma relação, mas não é tão crítica. “Quando oriento meus pacientes, peço que diminuam o consumo, mas nada exagerado. Há provas cabais, mas eu me preocupo mais com carboidratos”, explicou.

O que seria, então, a dieta perfeita? “Muita fruta, muita verdura, proteína, cuja fonte a melhor fonte é peixe e frutos do mar, pouca carne, e obviamente carboidrado ao mínimo, coma tudo integral”, orientou.

Veja na íntegra:

Deixe um comentário

wpDiscuz