Distritão deve ter dificuldade para ser aprovado na Câmara, avalia deputado

Para Célio Silveira, proposta vai enfrentar resistência, mas é justa, já que são eleitos aqueles que têm mais votos, e mais fácil de entender

Foto: Renan Accioly/ Jornal Opção

Para o deputado federal Célio Silveira (PSDB), a votação da Comissão Especial que avalia a reforma eleitoral indica que o distritão terá dificuldades para ser aprovado no Plenário da Câmara dos Deputados. Como a matéria é uma Proposta de Emenda à Consituição (PEC) e precisa de ao menos 308 votos para ser aprovada, ela enfrentará bastante resistência.

“Até uma semana atrás, eu achava que ela seria aprovada com facilidade, mas como a votação na comissão reflete muito no plenário e é uma PEC, estou achando que, se conseguir, vai ser por muito pouco”, avalia ele. Apesar disso, para ele, a proposta é boa, justa e mais fácil de entender.

“Eu acho que o distritão é um bom caminho para as eleições, porque é uma forma que o povo entende de maneira muito fácil: são 17 deputados federais, os mais votados são eleitos”, afirmou. “É injusto o sistema atual, em que às vezes um deputado tem um número muito superior e não se elege.

Questionado sobre as críticas de que a medida dificulta a renovação, Célio disse que não avalia assim. “Eu não vejo por esse lado não, vai beneficiar quem tem voto. Agora, é lógico, toda primeira eleição é mais difícil, porque um deputado federal tem emendas e, se souber aplicar nos municípios, vai ter um bom reconhecimento. Mas quem quer ganhar eleição, é trabalho, é presença nos municípios”, defendeu.

A respeito do possível favorecimento aos “caciques” do partido, dificultando a entrada de novatos, ele avalia que, em qualquer legenda, os candidatos são aqueles que estão trabalhando. “Não acho que veio para beneficiar ninguém não. Quem tem serviços prestados, em qualquer sistema tem chances reais de ganhar eleição”, finalizou Célio.

Deixe um comentário

wpDiscuz