Após substituição na CCJ, Delegado Waldir diz que pediu para ser expulso do PR

Deputado goiano afirma já ter recebido convite para filiação em 10 partidos, mas espera proximidade da janela partidária para definir destino

“Já cumpri meu compromisso com o PR”, diz Delegado Waldir | Foto: Fernando Leite / Jornal Opção

De malas prontas para deixar o Partido da República (PR), o deputado federal por Goiás Delegado Waldir aguarda apenas uma definição da sigla pela expulsão ou a janela partidária para definir seu rumo na política.

Em entrevista ao Jornal Opção neste domingo (16/7), ele diz ter sido ameaçado pelo líder do PR na Câmara, deputado José Rocha (BA) de que seria levado ao conselho de ética do partido depois de se posicionar a favor da admissão da denúncia da Procuradoria-Geral da República  (PGR) contra o presidente Michel Temer (PMDB) por corrupção passiva.

“Depois dessa ameaça, eu pedi para ser expulso, porque não devo meu voto a ninguém, apenas ao meu eleitor. E garanto que em plenário votarei pela admissibilidade da denúncia. Prezo pela minha independência e acredito que já paguei minha conta, já cumpri meu compromisso com o PR”, disse.

Delegado Waldir foi um dos quatro deputados do PR que foram substituídos na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara enquanto o colegiado analisava a denúncia da PGR. Ao final da votação, foi aprovado o relatório do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG) pelo arquivamento da denúncia.

Especula-se que o deputado possa ir para o Democratas de Ronaldo Caiado, a quem já declara apoio em uma possível candidatura ao governo do Estado em 2018. Delegado Waldir, porém, desconversa quando o assunto é filiação. “Já surgiram, na última semana, cerca de 10 convites de outros partidos para que me filie, mas a verdade é que não tenho possibilidade legal no momento, então é muito cedo para discutir essa questão”.

Deixe um comentário

wpDiscuz