37 anos
20/07/13
Boletim Médico
Piora estado de bebê intoxicado com fumaça de crack no colo da mãe
Reprodução/TV Anhanguera

Ketllyn Fernandes

O quadro clínico do bebê de um mês intoxicado com fumaça de crack no último dia 14 em Aparecida de Goiânia piorou nas últimas horas. Segundo boletim médico do Hospital Materno Infantil (HMI) deste sábado (20/7), a criança sofreu quatro paradas cardíacas entre a noite de sexta e nesta manhã mais quatro. O bebê segue em estado gravíssimo na UTI e, segundo a equipe médica, corre o risco de morrer ainda hoje.

Notícia Atualizada: Depois de oito paradas cardíacas, morre bebê que inalou fumaça de crack no colo da mãe

Por não responder aos estímulos e ao tratamento, foi aberto nesta quinta-feira (19) um protocolo para apurar a possível morte cerebral da criança. Uma amostra toxicológica foi encaminhada para um laboratório de São Paulo para a verificação de qual a substância que causou a intoxicação.

O pai e a mãe do bebê são usuários de crack e moram em Aparecida de Goiânia. A intoxicação se deu porque a mãe, Daiane Lima Feitosa, de 24 anos, se drogou com a criança no colo. O bebê passou mal em seguida e foi socorrido inicialmente no Cais Garavelo.

Além do bebê, os pais são responsáveis por outros quatro menores, dos quais podem perder a guarda diante do caso de negligência.

Notícias Relacionadas:
HMI abre protocolo para apurar se bebê que inalou fumaça de crack teve morte cerebral
Bebê de um mês é internado em estado gravíssimo após inalar fumaça de crack