06/04/11
Saúde
Médicos de todo o Brasil fazem paralisação amanhã
Salário pago pelas empresas de saúde suplementar é considerado baixo pela categoria. Ficam sem atendimento 900 mil pacientes em Goiás e 45 milhões em todo o país

Artur Felício

Cerca de 160 mil médicos brasileiros farão uma paralisação amanhã, 7, durante 24h,  interrompendo o atendimento pelos planos de saúde. O ato é um alerta para as operadoras de saúde.

De acordo com o Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego), a paralisação está associada aos baixos salários pagos pelas empresas de saúde suplementar, que têm média nacional de R$ 35 por consulta. O valor mais baixo é de R$ 25 e o mais alto é de R$ 80, feito pelo plano de saúde da Petrobrás aos médicos que atendem seus funcionários.

A paralisação não atenderá quem estiver vinculado ao Instituto de Assistência dos Servidores Públicos do Estado de Goiás (Ipasgo), ao Instituto Municipal de Assistência (IMA), à União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde (Unidas), dentre outros planos. 

O atendimento urgente e emergente não será interrompido, apenas os eletivos (consultas por agendamento). Segundo a Cremego, em Goiás deixarão de ser atendidos 900 mil pacientes, e no Brasil, aproximadamente 45 milhões.