21/10/13
Em dois anos
Governo Dilma aumentou em 6.000% gastos com publicidade para o Minha Casa, Minha Vida
Levantamento é da Ong Contas Abertas. Possível motivação seria o fato de a legislação permitir ao governo só gastar em publicidade em ano eleitoral o mesmo que foi gasto no ano anterior

Ketllyn Fernandes

Em 2013, o governo federal aumentou em 923% os gastos com publicidade relativos ao programa Minha Casa, Minha Vida na comparação com o ano anterior. Se levado em conta o aumento em relação a 2011, o porcentual sobe para 6.000%. O levantamento foi feito pela Ong Contas Abertas com base em dados cedidos pela Caixa Econômica Federal (CEF) solicitados pelo deputado federal Nilson Leitão (PSDB-MG). Enquanto em 2011 o programa teve investidos R$ 261 mil em propagandas e em 2012 R$ 1,7 milhão, até julho último o montante chegava a R$ 15,7 milhões.

A CEF apenas fez o repasse de dados, não tendo justificado o aumento considerável nos gastos publicitários. Segundo a instituição, o foco das peças publicitárias deste ano foi prestar esclarecimentos aos beneficiários do programa. “A campanha teve como objetivo de prestar, de forma transparente, orientações aos beneficiários que estavam recebendo as chaves de imóveis do MCMV – tais como a conservação e manutenção da moradia, condições de instalação do sistema elétrico e hidráulico, economia de água e energia, dentre outros pontos importantes”, informou em nota.

A Caixa também não apresentou os preços pagos pelas propagandas, estreladas pelas globais Camila Pitanga e Regina Casé. A justifica em manter sob sigilo o dado é de que o valor pago é uma informação “estratégica”.

O próximo passo de Nilson Leitão será solicitar ao banco esclarecimentos concretos quanto ao aumento com os gastos com publicidade. O tucano quer saber se a elevação nos custos com propaganda acompanhou o crescimento proporcional nos empreendimentos oferecidos pelo programa.  "É um gasto apenas promocional para o governo; não muda em nada a vida do cidadão", opina o congressista em matéria publicada pela revista “Veja”.

Ano pré-eleitoral

A meta do governo petista em concluir 2,5 milhões de contratos para o Minha Casa, Minha Vida até 2014, de preferência antes das eleições. Até o momento, 1,3 milhão já foi concretizado. Há seis dias a petista anunciou  que o governo federal estuda lançar uma terceira etapa do programa Minha Casa, Minha Vida. “Vamos avaliar uma nova quantidade de habitações e vamos colocar a viabilidade dessas habitações bem clara”, ressaltou.

Mas não foi só o gasto com o programa imobiliário que cresceu este ano. Em outro levantamento, a Contas Abertas revela que foram empenhados R$ 177,7 milhões em publicidade em 2013 (que ainda tem três meses para chegar ao fim) –– 4,7 pontos porcentuais a mais que todo o ano passado, em que o governo federal gastou R$ 173 milhões com peças publicitárias.

Embora tenha repetido reiteradamente que não está em campanha, a presidente Dilma Rousseff tem dado mostras de que começa articular com olhos em 2014. O aumento ocorre acompanhado de uma nítida mudança na estratégia de comunicação da presidente Dilma Rousseff, já de olho nas eleições de 2014.

Outro aparente motivo para o aumento descomunal é que, conforme a legislação, o governo só pode gastar em publicidade em ano eleitoral o mesmo que foi gasto no ano anterior –– ou seja, com olhos nas divulgações do ano eleitoral, se faz necessário aumentar os gastos antes.