14/12/10
Secretariado
Equipe de Marconi Perillo já toma forma
Faltam apenas 16 dias para a posse de Marconi Perillo (PSDB), que tem segurado os nomes de quem fará parte do governo nas pastas da máquina pública. Mas alguns nomes já são tidos como as primeiras certezas
O governador eleito Marconi Perillo (PSDB) vem guardando a sete chaves os nomes de quem fará parte de seu secretariado. Muito especula-se, pouco se confirma, mas é natural que algumas decisões mais importantes e mais esperadas vazem com o passar dos dias. O que se tem de mais palpável é o perfil dos auxiliares que Marconi tem escolhido. Os nomes que já são confirmados denotam a vontade de Marconi de aliar o conhecimento técnico de seus ajudantes a uma certa notoriedade da parte deles, o que é, em última análise, uma forma de facilitar as articulações políticas que devem ser feitas ao longo do mandato. O critério “competência”, capacidade para gerir, é fundamental.
 
Everaldo Maciel, expert em aumentar a arrecadação, foi cotado para assumir a Secretaria da Fazenda. Mas na segunda-feira, 13, o nome mais citado era o de um ex-secretário de Finanças da Prefeitura de São Paulo.
 
O engenheiro e empresário Wilder Pedro de Morais (DEM), suplente do senador Demóstenes Torres (DEM) e dono da Orca Construtora, é o nome indicado para assumir a Secretaria da Indústria e Comércio, tradicionalmente atribuída ao empresariado de Anápolis. Wilder é dono do maior shopping de Anápolis e tem fortes aliados na cidade. Alexandre Baldy, que estava cotado para o cargo, não assume a pasta, mas vai participar do governo. Genro de Marcelo Limírio, ex-dono da Neo Química, um dos maiores laboratórios de medicamentos, Baldy trabalha em Anápolis, mas seu nome enfrentou a resistência da Associação Comercial e Industrial de Anápolis. Wilder Pedro, com o shopping, é um dos maiores empregadores, ainda que indiretamente, da cidade. Além disso, pertence ao DEM, que reivindicou a secretaria. Se Demóstenes Torres for eleito prefeito em 2012, Wilder deixa a secretaria para assumir mandato de senador.
 
Deputado federal reeleito, Leonardo Vilela (PSDB), que reassumiu há pouco tempo o diretório estadual do partido, será o secretário do Meio Ambiente, pasta que era do PTB. Por ser competente e muito ligado a Marconi, Leonardo chegou a ser cotado para as secretarias da Agricultura e da Saúde. Líder do Partido Trabalhista Brasileiro, o deputado federal Jovair Arantes agora faz acordos para emplacar ao menos o secretário de Cidadania. Helder Vallin, que planeja disputar a Prefeitura de Goiânia pelo PSDB, também quer assumir a Secretaria de Cidadania.
 
Outro democrata que fará parte do novo secretariado é Vilmar Rocha, que poderá comandar a Secretaria de Educação ou o Gabinete Civil. O economista Giuseppe Vecci será o secretário do Planejamento. Vecci já foi responsável pela pasta nos governos anteriores de Marconi e também já esteve à frente da Secretaria da Fazenda. Além disso, ele é o responsável pelo plano de governo apresentado pelo tucano durante a campanha eleitoral. O democrata José Eliton deve ser indicado para uma secretaria, possivelmente a de Segurança Pública (para a qual tem sido citado o deputado federal e delegado de polícia João Campos) ou mesmo a presidência da Celg. Eliton já está montando equipe.
 
Para a Secretaria da Agricultura, a escolha de Marconi foi pelo nome de Antônio Flávio Camilo, superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-GO) — órgão integrante da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg). Gilvane Felipe (PPS) é cogitado para assumir a Secretaria de Ciência e Tecnologia ou a Agência Goiana de Cultura Pelo Ludovico Teixeira (Agepel).
 
O chefe de gabinete do governo poderá ser o ex-presidente da Agepel Nars Chaul, e Chiquinho Oliveira, o secretário particular. O empresário Ridoval Chiareloto, que já foi secretario da Indústria e Comércio, deve assumir a pasta do Comércio Exterior.
 
Na Agência Goiana de Comunicação Marconi ainda precisa escolher entre um dos três já marcados: o jornalista José Luiz Bittencourt, o geólogo Carlos Maranhão, que foi um dos responsáveis pelo marketing da campanha de Marconi, e ainda o ex-diretor do Detran Bráulio Moraes. João Bosco Bittencourt deve ser o assessor de Imprensa de Marconi Perillo.
 
Jorge Pinheiro e Valdivino Oliveira na Câmara dos Deputados
 
Os suplentes Jorge Pinheiro (PRB) e Valdivino Oliveira (PSDB) estão muito animados, pois foram informados que assumirão a vaga de Leonardo Vilela e Vilmar Rocha. O DEM perde uma vaga e o PSDB não perde nenhuma, porque Leonardo Vilela será substituído por outro tucano, Valdivino Oliveira.
 
Jorge Pinheiro assume mandato porque o governador eleito Marconi Perillo teria firmado um compromisso com o braço político da Igreja Universal, sobretudo com o senador Marcelo Crivella, do Rio de Janeiro.