27/07/13
Tumulto
Encontro do PMDB em Catalão é marcado por manifestação contra comentário de Kid Neto
Um manifestante, que segundo peemedebistas era um militante infiltrado pela oposição, entrou no auditório durante o discurso do ex-prefeito da cidade Adib Elias

Ketllyn Fernandes

Com as presenças do ex-prefeito Iris Rezende, da deputada federal Iris de Araújo, do presidente estadual da sigla, deputado Samuel Belchior, do empresário José Batista Júnior e do ex-deputado José Nelto, além de 11 prefeitos, vereadores e militantes, o encontro regional que o PMDB promoveu em Catalão na manhã deste sábado (27/6) contou com interferência de manifestantes que protestaram, principalmente, contra, o ex-secretário-geral da legenda Kid Neto.

O peemedebista criticou no último dia 22 o presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, por meio de um comentário de teor racista pelo Twitter, que ganhou repercussão nacional. Kid Neto se retratou na quarta-feira, tendo classificado seu post como uma “citação infeliz.”

Mesmo sem a presença do peemedebista no encontro de hoje, o que já era esperado, um grupo de cerca de 40 pessoas, membros de uma comunidade negra que fica em Catalão, protestou em frente ao local onde a reunião foi realizada, o auditório do Centro de Ensino Superior de Catalão (Cesuc).

Um manifestante entrou no auditório no momento em que o ex-prefeito de Catalão Adib Elias discursava e protestou contra a corrupção, tendo de ser retirado pelos seguranças. Tem sido aventada a informação de que a oposição teria ajudado a organizar o protesto. O prefeito de Catalão, Jardel Sebba (PSDB), rechaçou a possibilidade.

Apesar da confusão, em entrevista ao Opção Online logo após o encontro, pouco antes das 14h, o ex-deputado José Nelto garantiu que foi possível levantar propostas para as próximas eleições. Indagado sobre alguns pontos a serem apresentados como alternativa ao eleitor goiano pelo partido, cujos últimos encontros sofreram críticas por ter como foco a difamação do governo tucano, o peemedebista afirmou que a legenda tem elaborado “projetos concretos” para interferir nas áreas tidas como problemáticas em Goiás: saúde, educação e segurança pública.

“Estamos com projetos avançados para educação, saúde e segurança, que vão ser apresentados ao eleitor no momento oportuno. Mas também vamos incorporar na nossa gestão as demandas que vieram das ruas com os protestos”, disse.

Quanto à máquina pública do Estado, José Nelto aproveitou para tecer críticas indiretas: “Vamos exigir transparência não só no governo, como no Legislativo e no Judiciário. Reduzir os servidores comissionados em 50% também está nos planos do PMDB quando retomar o controle do Estado”, pontuou, em clara referência ao fato de a Lei de Acesso à Informação (LAI) ainda não ter sido adota por completo pela Assembleia Legislativa de Goiás e outros órgãos, além do corte dos comissionados, prometido desde o início do ano.

O ex-deputado creditou a intervenção de um manifestante ao discurso do ex-prefeito Adib a um ato de deselegância por parte da oposição na cidade, “que implantou um militante”. “Mas é até normal. Nos meus 30 anos de vida pública já presenciei muita coisa. Isso não atrapalhou em nada nosso objetivo com o encontro, que foi debater propostas para apresentar ao povo.”

Sucessão

Não foi debatido no encontro, segundo José Nelto, sobre o nome a ser lançado em 2014. “Achamos muito prematuro falar em pré-candidatura. Tem muita coisa para acontecer, temos as manifestações que têm ocorrido no país. Digo que temos três nomes fortes: Iris Rezende, Friboi e o Samuel Belchior. O partido apoiará a pessoa que melhor se encaixar no projeto de renovação e de mudança.”

Mas o discurso do principal líder do partido em Goiás, Iris Rezende, demonstrou que o ex-governador não  descarta a possibilidade de se candidatar. O peemedebista disse que não se ausentará em 2014.

Na estimativa de José Nelto o encontro conseguiu reunir cerca de 1.000 pessoas, entre prefeitos, vereadores, deputados e militantes.