06/03/12
Goiás
Conselho Estadual de Saúde paralisa atividades
Greve foi definida como protesto às más condições de trabalho oferecidas

Déborah Gouthier

O Conselho Estadual de Saúde de Goiás decidiu paralisar suas atividades como protesto às más condições de trabalho oferecidas pela rede estadual de Saúde. A decisão foi tomada em reunião realizada nesta terça-feira, 6, que concluiu que a situação atual da Saúde em Goiás está prejudicando os Conselheiros Estaduais e a população que visita o prédio.

A presidente do conselho, Cláudia Câmara, afirmou que a SES (Secretaria Estadual de Saúde) não tem fornecido materiais como papel higiênico e água mineral, além da estrutura inadequada do prédio do CES (Conselho Estadual de Saúde), que além de antiga, também é inapta aos portadores de necessidades especiais que compõem o grupo.

A estimativa é de que diversas atividades políticas e programas de saúde, além de projetos que necessitam de aprovação do CES fiquem paralisados devido à greve. Atualmente, o conselho é composto por 20 membros usuários, 10 trabalhadores e 10 representantes do segmento de gestor/prestador de serviço de saúde, totalizando 40 conselheiros estaduais titulares, representando cada um uma entidade. Além deles, são ainda 40 conselheiros suplentes.