Edição 1865 de 3 a 9 de abril de 2011
Saúde
Situação é crítica, constata AMT
Gleydson Medeiros
Prefeito Abrão, secretários Arnaldo Bunes e Raimundo Boi,
presidente da ATM Manoel Silvino Abrão Costa: relatório mostra
caos na saúde

A situação da saúde no Estado é crítica. É o que aponta o relatório da Comissão de Saúde da Associação Tocantinense de Municípios (ATM) entregue ao governo na quarta-feira, 30. “Estamos com os hospitais de referência, os programas de atenção básica e os hospitais municipais em situação de bancarrota e sem as mínimas condições de oferecer à população uma saúde digna e condições de recuperação de vidas”, declarou o prefeito de Miranorte, Abrão Costa (PMDB), durante a audiência com representantes do governo. O prefeito acompanhado do presidente da ATM, Manoel Silvino, e diretor da entidade Valtenis Lino estiveram reunidos com o secretário da Saúde, Arnaldo Alves Nunes, e com o secretário extraordinário de Gestão Hospitalar, Raimundo Boi, para avaliar o relatório e buscar alternativas para resolver os problemas. Costa defende a realização de audiência pública envolvendo os municípios, governos estadua e federal e Ministério Público para tratar do assunto que é urgente. Abrão Costa, que é médico, coordenou o trabalho, que durou um ano e se estendeu a todos os municípios.

Entre Aspas




"Aqui estou para aplaudir, homenagear e me solidarizar com o povo e com os líderes desta bela causa, a criação do Estado do Carajás”.
Governador Siqueira Campos (PSDB), em Paraupebas, no Pará, durante manifestação política em favor da criação do Estado do Carajás.

Disputa não passou de confronto de egos entre bancadas

Durante o debate sobre o orçamento se viu é que não havia divergência nenhuma entre o governo e a oposição. Fora a disputa de ego ficou evidente que as duas bancadas usaram o debate do orçamento para medir força, mas não tiveram a ousadia para aprofundar o debate e revelar o que há por trás dos números do orçamento. O deputado Raimundo Palito revelou o que o povo pensa da novela do orçamento. Disse que durante a visita a uma feira em Araguaia uma senhora questionou porque os deputados não votaram logo a LDO. Ele indagou “a senhora sabe o que é LDO?”. Ela respondeu: “Sei. Somos nós, o povo, liso, duro e otário.” Depois das gargalhadas não teve mais debate.

Polêmica sem sentido sobre redução no preço de combustível

A redução dos preços dos combustíveis em Palmas, resultado de uma negociação do governo com o proprietário da maior rede de postos da Capital, foi aplaudida pelos consumidores e duramente criticada pelos comerciantes do setor e pelos deputados de oposição que desconfiam de arrumação política. “Ou os preços estavam caros ou a Petrolíder teve compensação do governo”, acusa o deputado Stalin Bucar (PR) alimentando uma polêmica que já não tem mais sentido. Os preços estão sendo reajustados pouco a pouco e já estão chegando ao que era antes.

Preocupação mais política do que com defesa do consumidor

O que provoca o interesse dos deputados pelo assunto não foi tanto a defesa do consumidor, mas implicações políticas que julgam haver. Dizem que o  empresário Dito do Posto é sócio do ex-governador Carlos Henrique Gaguim e foi seu tesoureiro na campanha de 2010. “Em Palmas sempre teve um cartel criminoso”, declara o deputado José Bonifácio (PR), rebatendo as dúvidas do colega e botando mais lenha da fogueira da polêmica.

Secretário anuncia primeira escola de tempo integral

O secretário de Planejamento e Modernização da Gestão Pública, Eduardo Siqueira Campos (PSDB), anuncia mais uma grande obra para Palmas. Depois do Hospital de Urgências o secretário informa que a Capital vai ganhar mais uma escola de tempo integral, a primeira a ser construída no governo Siqueira Campos e que vai atender alunos do Bairro Jardim Taquari, região sul de Palmas. A pedra fundamental da obra vai ser lançada em 16 de maio.

Secretário das Cidades quer buscar R$ 600 milhões na União

A Secretaria das Cidades botou os seus técnicos em campo para fazer um amplo levantamento da realidade dos municípios tocantinenses, para elaboração de projetos para captação de recursos do governo federal. O secretário Ronaldo Dimas estima que só do Ministério das Cidades o Tocantins possa ser contemplado com recursos na ordem de R$ 600 milhões.

Muito barulho por nada

Depois de três meses sem orçamento o governo inicia nova fase. Foi aprovado na quarta-feira, 30, à noite, em sessão extraordinária e por unanimidade, a Lei do Orçamento Anual (LOA) do governo do Estado, botando um ponto final num impasse entre governo e oposição que vinha desde janeiro. Apesar do forte embate entre as duas bancada na Assembleia Legislativa, o projeto terminou sendo aprovado mantendo a proposta original do governo com apenas duas pequenas mudanças. O remanejamento de R$ 5 milhões da Seplan para a Saúde e R$ 2 milhões do orçamento da Assembleia Legislativa para o Fundo de Combate às Drogas.

Voz destoante 

O deputado Freire Júnior (PSDB) mais uma vez destoou do coro dos contentes. Enquanto os deputados das duas bancadas elogiavam o consenso em torno do orçamento da Assembleia Legislativa de R$ 128 milhões, R$ 2 milhões a menos que a proposta do governo, o tucano se manifestou contrário. “Este orçamento é alto demais”, criticou o líder do governo apontando distorções no orçamento da Casa ao longo dos últimos oito anos.

Eli e Josi recuam

Os deputados Eli Borges e Josi Nunes, ambos do PMDB, desistiram de retirar recursos da comunicação para atender outros setores como saúde e combate as drogas e decidiram retirar as emendas modificativas que propuseram. O deputado Sargento Aragão (PPS) insistiu na proposta de reduzir de R$ 30 milhões para R$ 12 milhões o orçamento da comunicação e foi derrotado na Comissão de Constituição e Justiça.

Queiroz espera

O deputado Manoel Queiroz (PPS) admite o desejo de ingressar no novo PSD, mas revela que não tem pressa. Queiroz condena as manifestações no PPS em direção ao governo e avisa que se isso acontecer ele estará fora. Por enquanto permanece no PPS.

Sargento Aragão insiste

“No governo anterior, do qual o deputado fez parte, foram gastos R$ 60 milhões com comunicação, tendo ficado uma dívida de R$ 16 milhões para este governo, será que isso não serve de parâmetro?.” Questionou o deputado Osires Damaso (DEM) ironizando o colega que buscou orçamentos de outros Estados para comparar.

Marcelo cauteloso

O ex-governador Marcelo Miranda (PMDB) mantém cautela sobre a decisão do STF\ em relação á aplicação da Lei da Ficha Limpa que pode lhe favorecer. Miranda, que foi eleito senador, mas teve o registro de candidatura cassado pela TSE, recorreu e aguarda o julgamento do mérito. Ainda que a possibilidade de ir para o Senado seja remota, marcelistas comemoram o desimpedimento do ex-governador de concorrer às eleições de 2014. Um fato concreto que pode mudar o cenário político do Estado.

Flit entusiasma

O governador Siqueira Campos está entusiasmadíssimo com a Feira Literária Internacional do Tocantins (Flit). Em encontro com secretários de Educação de todo o País vendeu o projeto da feira, que vai ocupar toda a Praça dos Girassóis e contará com 15 espaços temáticos por onde devem circular 500 mil pessoas em 10 dias.