Edição 1907 de 22 a 28 de janeiro de 2012
Em Araguaína a disputa provável será entre Dimas,Valderez e Valuar
Três nomes testados nas urnas, três forças políticas consolidadas: quem interpretar melhor os sentimentos do povo leva a eleição
Ronald Dimas, Valderez Castelo Branco e Valuar Barros: a trinca mais forte na pré-campanha em Araguaína

Ruy Bucar

A lista de pré-candidatos a prefeito de Ara­gua­ína é extensa. E inclui líderes de renome no cenário político estadual como o suplente de deputado federal e secretário das Cidades, Ronaldo Dimas (PR); o ex-vice-governador Paulo Sidnei (PPS); a ex-prefeita Valderez Castelo Branco (PP), candidata a vice-governadora derrotada na eleição de 2010; o deputado federal César Halum (PSD); e o secretário de Trabalho e Ação Social e ex-prefeito de Babaçulândia, Agimiro Costa (PSDB).

Ainda líderes locais em ascensão como o presidente da Câ­mara, Elenil da Penha (PM­DB0; o vereador e suplente de deputado Frederico Jorge (P­SD); e velhos conhecidos da política local como o advogado Célio Moura (PT); o suplente de deputado Palmeri Bezerra (PS­B), o deputado Raimundo Palito (PP) e o próprio prefeito Valuar Barros (DEM), que tem o direito à reeleição, dentre outros menos expressivos.

O suplente de deputado federal e secretário das Cidades Ronaldo Dimas é a bola da vez em Araguaína. O cenário político local nunca esteve tão favorável ao seu projeto político como agora. Depois do desastre administrativo do democrata Valuar Barros, que revela certa desilusão com o Executivo, a cidade clama por um choque de gestão. Dimas é o nome que melhor contrasta com o prefeito e se enquadra na medida certa ao perfil que possivelmente os eleitores vão eleger nestas eleições.

Ronaldo Dimas, que foi o segundo colocado na eleição passada e perdeu por pouco, mantém o prestígio político em alta. Em 2010 foi o candidato a deputado federal mais votado em Araguaína. Obteve o dobro de votos do segundo colocado e mais que a soma de todos os outros candidatos. Dimas é o nome que reúne as melhores condições de vencer as eleições. Tem perfil técnico, experiência política e apoio das bases. O que explica a liderança isolada nas pesquisas de intenção de voto e  comprova o seu apelo popular. Dimas anda pode contar com o apoio do Palácio Araguaia que neste caso significa muito, mas para isso terá que vencer adversários de peso dentro e fora do governo.

O secretário Agimiro Costa é o principal adversário de Dimas no governo. O tucano vem trabalhando muito para tentar melhorar o desempenho nas pesquisas e conquistar a indicação da base do governo. Além de filiado no partido do governador, Agimiro é um homem de confiança do Palácio Araguaia e certamente tem o aval de Si­queira Campos para suas articulações políticas, ou pelo menos para tentar demonstrar isso. Dimas supera o tucano na disputa interna. Tem maior inserção junto ao eleitorado e maior capacidade de agregação. Mas a lógica nem sempre acompanha as decisões políticas.

Adversários perigosos

Se vencer a corrida interna Dimas tem dois adversários perigosos e de igual potencial eleitoral. A ex-prefeita Valderez Cas­­­­telo Branco, do PP, e o prefeito Valuar Barros, do DEM, que bebem na mesma fonte, no assistencialismo populista. Para muitos analistas a disputa final em Araguaína será entre Dimas, Valuar e Valderez. Três nomes testados nas urnas, três forças políticas consolidadas e três estilos completamente diferentes. O maior volume de apoio político e bom plano de governo conta muito para qualquer um deles, mas o que vai decidir mesmo a eleição vai ser a disposição para conquistar o eleitor com um projeto que regaste a autoestima do araguainense em baixa com um governo morno, mudo e insensato.

Valderez tem restrição na Justiça Eleitoral por causa de pendência na prestação de contas. No momento perde apoio com as especulações sobre riscos de não ser candidata. Se conseguir registrar a candidatura disputa em pé de igualdade com os concorrentes. Ela tem apelo popular e trabalho prestado. Foi duas vezes prefeita da cidade e por pouco não se elegeu vice-governadora. Pode conseguir coligar com o PMDB e atrair para o seu palanque o ex-governador Marcelo Miranda (PM­DB), que tem muito prestígio no seu colégio eleitoral.

O prefeito Valuar Barros é um lobo na espreita. Faz um governo desastroso, que inexplicavelmente agrada o seu eleitorado, as camadas populares que decidem a eleição. Declara abertamente que não é candidato a reeleição, mas nada garante que na última hora não resista a continuar no poder. Valuar é um adversário difícil de ser combatido porque sabe se fingir de morto para driblar o desgaste. Ao admitir francamente que fracassou, Valuar em vez de perder apoio parece que renova o crédito junto aos eleitores que podem decidir lhe dar uma nova chance. Se decidir se manter na disputa será uma ameaça aos candidatos com projetos.

Apoio é importante

Como em qualquer cidade do Tocantins, apoio do governo do Estado é fundamental e pode decidir as eleições. Não é o caso de Araguaína, onde a liderança do governador Siqueira Campos  sempre foi contestada, embora na última eleição ele tenha sido bem votado na cidade. Os ex-governadores Marcelo Miranda  e Carlos Henrique Gaguim (PMDB), o senador João Ribeiro (PR), os deputados federais Lázaro Botelho (PP) e César Halum (PSD) podem ser incluídos na lista de líderes influentes de Araguaína, mas que também não decidem eleição. Um nome  com capacidade de influenciar na decisão na cidade é o ex-vice-governador Paulo Sidnei, do PPS, que parece decidido a não voltar aos palanques, o que é lamentável para a cidade e para os principais concorrentes que disputam o seu apoio.

Tem fama de bom gestor que conquistou ao assumir os destinos do município em momentos de crise. Convocado pelo então governador Henrique Santillo, em 1988, quando a região ainda pertencia a Goiás, cuja missão era organizar a cidade que vivia um tumultuado processo de desmando das contas públicas, deu provas de competência. Botou ordem na casa, mostrou trabalho e restabeleceu a credibilidade do poder público. Ainda teve a oportunidade de completar a obra.

Em 1997, voltou ao comando do Executivo e realizou forte investimento em infraestrutura. Virou referência para a cidade e para o Estado. Sidnei foi deputado estadual, deputado federal e duas vezes vice-governador. Tem prestígio para disputar qualquer cargo eletivo no Tocantins. Reconhecimento que se deve ao seu trabalho em Araguaína.

Dimas é o nome entre os pré-candidatos a prefeito de Ara­guaína com perfil mais próximo dos predicados de Paulo Sidnei. É também o nome mais próximo de conquistar o seu apoio. Se conseguir se tornará um candidato imbatível. Ainda que consiga estará mais próximo da vitória se souber valorizar o exemplo de Sidnei e traduzir o sentimento do povo e responder com projetos as suas expectativas, como fez Paulo Sidnei nas duas vezes em que ocupou o Paço Mu­nicipal. A vez é de Di­mas se to­do o processo conspirar a favor. Cabe a ele compre­ender esses sinais e apertar o passo. Mais do que a sua vontade de ser prefeito, a cidade precisa de um bom gestor.